Daniel Radcliffe comparece ao Jameson Empire Awards 2015 com James McAvoy
Untitled-3

Enquanto aguardamos (im)pacientemente pelo trailer de Victor Frankenstein, Dan e o co-ator James McAvoy nos presentearam com uma aparição no Jameson Empire Awards 2015, onde apresentaram o prêmio de Melhor Filme Britânico. Julgando pelas fotos, nosso presente mesmo será quando a divulgação de Victor Frankenstein começar.

O blog do Empire relata:

Com a fartura de talento britânico que há, não foi fácil escolher dois dos melhores patriotas para apresentar este prêmio. Felizmente para nós, tivemos acesso ao poder combinado de James McAvoy e Daniel Radcliffe. Ambos são estrelas dos palcos e das telas, são dotados de poderes sinistros (pelo menos nas telas) e estão trazendo Frankenstein de volta a vida para nós ainda este ano. Sua vez, America!

“Nós não sabíamos o que dizer  lá no palco”, diz McAvoy, “então vou te dizer o que Daniel sugeriu: que ficássemos lá parados parecendo bonitos.” Bom, trabalho bem feito, garotos.

Vamos atualizar o post assim que o vídeo estiver disponível, mas neste meio tempo, dê uma olhada nas fotos abaixo.

Aparições Públicas > 2015 > The Jameson Empire Awards (29.03)

1.png 9.png 8.png 2.png 4.png

Tradução e adaptação: May Oliveira.

Fonte: dan-radcliffe.co.uk

março 29, 2015 às 22:04     Elivelton Comentar

Cinemax exibe “A Mulher de Preto”
azxs

Hoje o Cinemax vai exibir com exclusividade o thriller “A Mulher de Preto“, estrelado por Daniel Radcliffe e Ciáran Hinds.

“(…) O jovem advogado Arthur Kipps (Dan Radcliffe) viaja para um remoto vilarejo para cuidar dos papéis de um cliente recém-falecido. Lá, ele encontra o fantasma de uma mulher que busca vingança…”

Não quer perder a exibição do filme? É fácil, programe seu canal e prepare-se para se arrepiar!

SKY: Canal 56, Claro TV: Canal 57, Oi TV: Canal 49, Vivo TV: Canal 80 e NET: Canal 155.

março 21, 2015 às 18:24     Babi Comentar

Documentário de Tom Felton terá participação de Daniel Radcliffe
capa post

Após ser divulgada a data do lançamento do documentário sobre super fãs do Tom Felton, “Tom Felton Meets the Superfans”, foi liberado hoje um trecho da entrevista entre  Tom Felton e  Daniel Radcliffe, na qual o Dan comenta sobre obsessões em séries. Assista a prévia legendada abaixo:

março 20, 2015 às 18:42     Elivelton Comentar

Cena deletada de “What If”
newposters

Abaixo vocês podem conferir um vídeo contendo uma cena deletada de “What If”

fevereiro 21, 2015 às 18:41     Yolle Comentar

Daniel Radcliffe explica seu apoio a organização Get Connected
capa post

Daniel Radcliffe escreveu recentemente uma carta para o relatório Geração Conectada de 2015, da organização de caridade Get Connected, explicando por que ele escolheu participar e defendê-la.

É um grande privilégio ser capaz de suportar Get Connected como seu Melhor Amigo. Get Connected oferece o único serviço livre de assistência confidencial do Reino Unido especificamente para crianças e jovens menores de 25 anos, que precisam de ajuda, mas não sabem por onde começar. Mais de dois quintos das crianças e dos jovens já sentiram depressão e ansiedade – que são mais de 4 milhões de jovens de 10 a 25 anos de idade.

Crescendo, eu tive muita sorte de ter meus pais e boas pessoas ao meu redor para me apoiar. Isso foi ótimo quando tive que enfrentar os desafios da crítica pública desde pouca idade, mas a triste verdade é que muitos jovens não têm ninguém a quem eles podem recorrer para pedir ajuda se precisarem, ou não se sentem confortáveis procurando por socorro. Ainda há um tabu social para falar sobre algumas questões, especialmente entre os jovens, e muitos jovens realmente se preocupam por serem intimidados se os seus amigos descobrirem. Então, eles mantêm-se fechados. É vital que incentivemos as crianças e jovens a procurar apoio e saber que não há problema em falar de coisas sobre as quais eles possam sentir-se envergonhados ou com medo de compartilhar.

De forma alarmante, das 5.000 crianças e jovens que foram entrevistados para o relatório do Get Connected, dois terços disseram se sentir isolados e solitários, devido a problemas que têm enfrentado; chocantemente um em cada cinco tiveram pensamentos suicidas; 45% foram vítimas de bullying. Isso é um grande número de crianças e jovens que estão descobrindo que a vida é muito difícil, e que estão em risco caso não consigam encontrar ou ter acesso ao apoio adequado.

Muitos jovens desesperados estão buscando a internet para conseguir ajuda para problemas pessoais, a necessidade de os jovens procurarem fontes de autoajuda tem sido exacerbada pelo fechamento e cortes nos serviços jovens. Por conta do relatório agora sabemos que a internet pode fazer o oposto disso – o que é especialmente verdade para as mulheres jovens, com mais de 50% das entrevistadas nos dizendo que elas estão mais preocupadas com seus problemas depois de procurar ajuda online. Get Connected tem acesso a mais de 8.000 serviços de ajuda de confiança, e seu site e linha de apoio pode garantir o acesso dos jovens ao seu melhor suporte, seja qual for a situação.

Existem muitas barreiras para os jovens que procuram ajuda, falar sobre os problemas que estão enfrentando não é fácil e há um medo muito real de serem julgados. Eu acho que é incrivelmente importante para os homens e mulheres jovens saberem que eles podem procurar por apoio sem medo de qualquer tabu – Get Connected é um espaço seguro para explorar tudo o que você está passando, com a chance de encontrar ajuda mais especializada e profunda, que te faça bem.

Mais da metade das crianças e jovens que participaram nesse estudo, disseram que iriam se sentir mais confortáveis pedindo ajuda de uma linha de apoio gratuita, confidencial e sem julgamento – e é isso que Get Connected oferece para qualquer pessoa menor de 25 anos em todo o Reino Unido: a lugar seguro que possam buscar.

Eu fui um colaborador no Get Connected por mais de quatro anos e pude ver em primeira mão quantos milhares de jovens eles puderam ajudar, porém existem vários outros lá fora sofrendo, sozinhos e precisando de ajuda. O número de jovens que entraram em contato com o Get Connected em 2014 aumentou sem precedente de 53% em relação ao ano anterior.

Eu prometi meu apoio, e realmente espero que vocês possam ajudar também, fundos vitais são necessários para lidar com esse aumento da demanda de crianças e jovens sentindo que não têm a quem recorrer. Você pode se tornar um Amigo do Get Connected – visite www.getconnected.org.uk/donate para dar o quanto você puder. Você também pode doar com uma mensagem – envie GCUK25 £5 ou GCUK25 £10 para 70070.

Para descobrir como se tornar um voluntário do Get Connected e dar 3 horas por semana para ajudar crianças e jovens, não importa o local em que vive no Reino Unido, visite www.getconnected.org.uk/volunteer.

Obrigado.

Daniel Radcliffe.

Tradução e adaptação: May Oliveira, Gustavo Borella e Andressa Fernandes.

Fonte: DanRadcliffe.co.uk

fevereiro 12, 2015 às 19:45     Elivelton Comentar

Daniel Radcliffe fala sobre “What If” para a Attitude Magazine
danielpost

Se há uma coisa que você pode dizer sobre a carreira pós-bruxo de Daniel Radcliffe, é que ele não está com medo de correr riscos. Desde que ele levantou sobrancelhas pela primeira vez com uma performance ‘frontal’ em Equus, o ator de 25 anos virou para o lado do horror com The Woman in Black, o drama gay da época beat em Kill Your Darlings, e a fantasia bizarra Horns de Alexandre Aja ano passado. Agora, a ex-estrela da capa da Attitude pode adicionar outro gênero ao seu CV cada vez mais abrangente, com a incomum comédia romântica What If?

Atuando oposto a Zoe Kazan de Revolutionary Road e estrela Adam Driver de Girls (e em breve de Star Wars), Radcliffe mostra um desempenho aclamado pela crítica como Wallace, um aluno de medicina que abandonou os estudos que jura não socializar por um ano, só para – você adivinhou – cruzar com a menina de seus sonhos em uma festa. Saindo em DVD esta semana (09 de fevereiro), Dan fala sobre o próximo passo em sua crescente carreira pós-Potter, e sobre fazer uma comédia romântica para o século 21…

Em que estado estava What If? quando você se juntou ao elenco? Michael Dowse já estava escalado como diretor?

Michael estava muito afim, e quando recebi o roteiro, veio com uma carta dele dizendo por que ele queria que eu fizesse o papel e porque que ele pensou que eu seria bom. E então eu li o roteiro e nos falamos pouco depois. Me tornei ligado nele porque eu absolutamente queria fazê-lo.

Em seguida, foi apenas uma questão de encontrar a garota para interpretar Chantry. Precisávamos de alguém que, além de ser, obviamente, muito charmosa e engraçado, também fosse muito, muito inteligente, porque sua personagem é. E Zoe Kazan é uma das pessoas mais inteligentes que eu já conheci – esqueça apenas atriz ou ator, ela é uma das mais brilhantes em geral. Com isso, trabalhar com ela foi realmente fácil, porque ela só responde a toda e qualquer coisa que você dá a ela.

Quanto tempo durou a busca?

Eu não acho que tenha sido mais de três meses entre eu me tornar interessado e nós nos preparando para começar a filmar. Por isso, foi um processo bastante rápido com este, e uma vez que Zoe tinha lido e amado – e ela só tinha Ruby Sparks saindo – não havia necessidade de procurar em outro lugar, obviamente. Ela era a nossa garota.

O script estava na lista negra de roteiros quentes – quando ele veio para você era na forma que está agora? Foi muito adaptado?

Ele era praticamente da mesma forma que é agora. As únicas diferenças foram que, em um ponto, a última parte do filme que se passa na Irlanda deveria se passar na América do Sul. Mas a Irlanda é muito amigável para filmes, portanto, nós transferimos para Irlanda. Fora isso, foi muito o mesmo. Pequenas mudanças em termos de diálogo foram feitas, mas não houve grandes mudanças na história ou qualquer coisa assim.

No momento em que eu soube que eu ia fazer o roteiro foi na página dois, quando Wallace está corrigindo Chantry em sua pronúncia de uma palavra, e eu estava tipo, “Ah, eu sou esse cara.” [Risos] Eu definitivamente me identifiquei muito com aquilo.

Eu também gostei do quão inteligente era e quanto coração também tinha. Há sempre um perigo em filmes como este que pode acabar sendo 90 minutos de pessoas fazendo graça umas com as outras, se tornando algo um pouco sem alma, e, na verdade, o nosso filme tem uma enorme quantidade de alma. Eu realmente acho que vai fazer as pessoas muito felizes. É um filme no qual você sai feliz, o que é uma coisa difícil de fazer sem recorrer a truques baratos.

Apesar do que acontece entre Chantry e Wallace, o filme parece muito claro que homens e mulheres podem ser amigos. Como você acha que ele atinge esse equilíbrio?

Essa é a coisa sobre o filme, porque eu acho que há duas questões distintas. Devido a este filme, as pessoas começaram a me perguntar se homens e mulheres podem ser amigos. E, claro, a resposta é sim. Sou amigo de muitas mulheres que eu não tenho nenhuma intenção de dormir com. Há também a questão de saber se os homens e mulheres que são incrivelmente sexualmente atraídos um pelo outro pode ser apenas amigos. Essa é uma questão muito mais difícil, e muito mais difícil de se lidar. Essa é a questão que está presente no filme. Eu acho que é uma coisa muito fora de moda agora – a ideia de que homens e mulheres não podem ser amigos. Acho que já está caído no esquecimento agora.

Como foram suas primeiras conversas com Michael? Era essencial que vocês dois tivessem uma química?

Sim, e foi também sobre descobrir que tipo de filme que ele queria fazer. E isso é uma coisa difícil de quantificar ou de falar. Michael fez referência a um monte de outros filmes. Ele estava se referiu a filmes como It Happened One Night e When Harry Met Sally. Eles eram grandes pedras fundamentais para nós, porque é tudo sobre como as relações são construídas através de brincadeiras, e também por tipo insultar um ao outro no começo, e fazer graça.

Nós também conversamos sobre a forma que ele queria fazer o filme. Michael disse que queria filmar muitas cenas amplas e apenas deixar a audiência assistir aos personagens em vez de cortar para closes próximos. E ele se apegou a isto belamente – porque normalmente os diretores dizem coisas assim mas tudo vai por água abaixo quando eles veem um ângulo melhor. Ele faz muito isso no filme – parece que o objetivo é deixar as cenas amplas o máximo possível – então em vez de contar o que você precisa ver dos personagens, ele apenas observa a história. Essa é a diversão do filme: você observa muito intimamente o início de um relacionamento de forma muito divertida e você pode viver isso através dos personagens.

Wallace desistiu da faculdade de Medicina e é um cara gente boa no filme. Comédias românticas geralmente eliminam a existência dos empregos de seus personagens. Foi interessante o personagem ter essa especificidade?

[risos] Bem, eu acho que o Wallace poderia facilmente ter sua profissão eliminada completamente, para ser honesto. Por outro lado eu realmente amo que Chantry é uma mulher com emprego no filme e você pode ver ela executando seu trabalho várias vezes. Ela não é apenas uma garota que tem tempo livre para se preocupar com homens. Ela tem um trabalho que precisa frequentar. Não é o foco do filme, apenas um fato e eu acho que Elan Masrai é um ótimo escritor que pega essas pequenas coisas e as tornam em algo. Elan, a propósito, é o cara que beija minha ex-namorada no filme.

A saída do personagem da faculdade aparece brilhantemente algumas vezes quando as pessoas se machucam e querem que ele de repente lide com isso.

Ele causa alguns desses machucados.

Sim, na verdade, ele realmente causa! Estes são meus momentos favoritos no filme porque geralmente ele é cheio de diálogos e de repente nos vemos naquelas comédias gags*.

É um verdadeiro momento Buster Keaton*.

Sim, absolutamente. É como uma daquelas ótimas piadas de Peter Sellers girando o globo. Você sabe que ele vai colocar a mão no globo e cair. É uma piada similar; antes de acontecer você sabe exatamente como vai ser, mesmo assim isso faz você sorrir. Elas são ótimas. Porque outro motivo você teria que abrir a janela se ninguém fosse cair através dela? É um ótimo momento.

Adam Driver está no próximo Star Wars. É difícil manter-se sério durante as gravações com ele?

Adam Driver é um dos improvisadores mais engraçados que já conheci. Uma das coisas em que eu mais me aperfeiçoei durante esse filme foi como não rir em frente a câmera, porque ele regularmente dizia coisas que me fariam querer rir. Minha parte favorita, e eu acho que está no filme, foi quando ele estava assistindo os idosos jogando boliche e gritava para um deles: “Você não poderia encontrar essa pedra nem se estivesse no seu rim!” (risos) Ele é incrível, e um cara interessante também. Ele esteve na marinha, comanda uma organização de caridade e ele é um cara interessante e inteligente.

Como é trabalhar em Toronto?

Eu filmei dois filmes no Canada ano passado – um em Toronto e um em Vancouver – e foi um prazer trabalhar em ambos. Canadenses são bem amigáveis e muito educados. Eles são tudo que suas reputações internacionais dizem que são. Eu me diverti muito lá. Eu comi muito – muita batata frita com queijo e bacon. Foi um lugar muito divertido para se trabalhar.

Falando em comer muito, um dos pontos altos desse filme é o sanduíche Fool’s gold. Você experimentou?

O fool’s gold é incrível. Para as pessoas que não sabem, ele é um sanduíche enorme com muita manteiga de amendoim, geleia e bacon, e é delicioso. Eles, obviamente, fizeram alguns no set para a montagem que seria feita no filme. E, eu não entendo o porquê, mas eu e um outro cara estávamos ansiosos para provar o sanduíche e o resto do pessoal estava sendo muito saudável e, honestamente, covardes em relação a isso. Todo mundo deveria ter experimentado. Foi adorável.

Você também foi para Dublin com o filme?

Eu tive que ir até Dublin para uma filmagem. Eu fui chutado de algumas escadarias e, então, tive que correr um pouco. Mas foi adorável estar lá, de qualquer forma – É sempre um prazer ir pra Irlanda e Dublin é uma ótima cidade. Dublin tem cenas bem breves, mas é mostrada lindamente no filme. Esse filme usa as locações que tem muito bem. Foi uma cena adorável e eu tive que trabalhar com a incrível Oona Chaplin, que teve que pisar em mim para ter certeza de que eu não estava morto. E ser chutado nas escadas pelo Rafe Spall.

Tradução e adaptação: May Oliveira, Rafael Rodrigues e Juliane Sanchez

Fonte: Attitude Magazine

 


*Buster Keaton – ator e diretor americano de comédias mudas baseadas no humor gags.

*Gags – tipo de comedia baseadas em corridas, quedas e fugas.


 

fevereiro 11, 2015 às 18:16     Andressa Comentar

“Tokyo Vice” já tem data para o início de filmagens
dan-nymmagazine

De acordo com a Variety, o longa policial “Tokyo Vice”, que será estrelado por Daniel Radcliffe, já tem data para começar a ser filmado e um produtor:

Adicionando ao seleto mercado de alto nível de títulos do gênero, Myles Nestel e Lisa Wilson do Solution Entretainment Group embarcaram em “Tokyo Vice”, estrelando Daniel Radcliffe e produzido por John Lesher do Le Grisbi Prods. UTA está com os direitos nos EUA.

Lesher produziu “Birdman” de Alejandro Gonzalez-Inarritu, “The Fury” estrelado por Brad Pitt em 2014, está a postos em “Black Mass” estrelado por Johnny Depp e preparando para começar na primavera “The Trap” de Harmony Korine.

Thriller do submundo japonês, “Tokyo Vice” será lançado no Berlin’s European Film Market. E está programado para começar a ser produzido neste verão no Japão.

“Tokyo Vice”, que Lesher chama de projeto de paixão e cujo foi relatado pela primeira vez em 2013, é dirigido pelo diretor de clipes musicais e comerciais, Anthony Mandler, com o roteiro escrito pelo dramaturgo J.T. Rogers.

Como muitos outros filmes chegando no mercado em Berlin, “Tokyo Vice” é baseado em fatos reais, tendo como base o livro “Tokyo Vice: An American Reporter on the Police Beat in Japan” (Tóquio Proibida na edição brasileira), de 2008 que contém as memórias de Jake Adelstein que escreveu sobre seus anos como o primeiro repórter não-japonês trabalhando em um dos maiores jornais do Japão, Yomiuri Shinbun, e sobre o grupo criminoso japonês, Yakuza.

Adam Kassan (“End of Watch,” “Black Mass”) também está produzindo; Bin Jakupi, Nestel and Wilson são produtores executivos.

Fonte

fevereiro 6, 2015 às 18:43     Andressa Comentar

Primeira foto de Daniel Radcliffe com o elenco de Truque de Mestre 2
Sem título 19

O site Fandango divulgou com exclusividade a primeira foto do elenco de Truque de Mestre 2 (Now You See Me 2) reunido nos bastidores do filme. Confira:

now you see me 2 cast

Projetos > Filmes > Truque de Mestre 2 > Bastidores

O filme tem a data de estreia para 10 de Junho de 2016 nos EUA.

 

janeiro 16, 2015 às 23:54     Andressa Comentar

Daniel Radcliffe para a Dazzed Digital
danrad.post

A revista online Dazzed Digital fez um pequeno flashback de como foi o ano de 2014 para Daniel Radcliffe. Nela o ator conta sobre momentos embaraçosos em sua carreira, sua visão sobre a cultura pop e muito mais! Confira abaixo a entrevista.

“Desde reabilitar sua imagem com papéis mais arriscados em filmes como “Kill Your Darlings” e “Horns”, Daniel Radcliffe mergulhou fundo traçando seu caminho de volta ao mundo cinematográfico. Este ano ele só nos levou aos cinemas duas vezes, na primeira vez estrelando como protagonista da comédia romântica “What If”, e na segunda, em  “Horns” onde ele também estrelou como protagonista, mas provavelmente o primeiro papel o qual o ator teve chifres em sua cabeça, literalmente. Neste ano ele estará de volta fazendo parceria com Judd Apatow na comédia “Trainwreck”. Em seguida, ele estará de volta ás telonas, mancando, interpretando Victor em “Frankenstein”, o maníaco que dará vida ao personagem principal, nele, Radcliffe contracenará ao lado do também talentoso James McAvoy.”

Trey Taylor

 

Qual foi a sua definição da cultura pop de 2014?

Oh meu Deus, o que seria… Você sabe qual? Bom esta manhã eu estava em um programa de rádio, conversando com Nick Grimshaw, ele é bem próximo do Harry Styles, então ok, acho que esse era o ponto em que deveríamos chegar correto? Aparentemente – eu não sabia disso até o dia de hoje – mas, aparentemente, Harry Styles vomitou em algum lugar e um santuário foi feito naquele local e as pessoas estão o visitando. Então, eu sinto que se você quiser falar sobre a cultura pop envolvendo as celebridades de 2014, acho que essa é uma boa história.

Eu também li que havia alguém vendendo doenças na internet.

Sim. Sinto que esta pode ser a definição da cultura pop dessa geração. Além disso, o novo vídeo da Nicki Minaj. Eu estou tentando pensar em outras coisas mas não consigo no momento.

O que você achou do vídeo “Anaconda” da Nicki Minaj?

O que eu achei? Ela é sexy! Não há nada a mais para se pensar, além disso. Houve uma enorme controvérsia sobre este vídeo ou algo do gênero, né?

Algumas pessoas pensam que ela está tentando trazer de volta feminismo através do “twerking”, e outras dizem que ela é apenas uma pessoa sexualizando seu corpo.

Ah, entendi. Não sei definir.

Ainda há um grande debate sobre isso.

Bom, neste debate eu ficaria completamente cego pela cobiça. Do que ela gosta? Eu ficaria bem intrigado para saber o que ela pensa a respeito disso tudo.

Tenho certeza que ela possui sua atitude de diva, mas também acho que ela é um pouco feminista, sabe?

Sim, entendo, mas eu sinto que por vezes as pessoas analisam as canções de uma forma muito preconceituosa, ao invés de utilizar isso como algo comum e divertido. Eu entendo, acho que é pela imagem que ela promove e a influência que ela pode exercer sobre as pessoas, mas ainda acho que não se pode analisar uma canção dessa forma. Se ela quer fazer a música assim, você não pode querer impedi-la.

É aquele tipo de pessoa que mata – literalmente – a diversão. Não é?

Sim, eu acho. Nossa, eu obviamente escolhi um lado agora. (Risos)

Qual foi a sua música e o seu filme preferido do ano passado?

O meu filme preferido do ano passado com certeza foi “The One I Love”, um filme do Charlie McDowell.

Por quê?

Porque é tão incomum, e tão simples, é muito, muito engraçado, mas também uma das histórias mais interessantes. É um filme sobre um casal que quer ir embora para uma espécie de retiro no interior dos Estados Unidos. Há uma casa de hóspedes onde eles estão, por isso, eles vão morar na casa de baixo, e de vez em quando, um deles entra na casa de hóspedes sem a outra pessoa, basicamente eles encontram uma versão idealizada de seu parceiro, e seu verdadeiro parceiro não pode entrar na casa. Esse filme é uma loucura, mas basicamente conta a história de um casal lutando para salvar seu casamento, mas é feito de uma forma surpreendentemente criativa.

Minha música preferida… Oh Deus! Eu estou gostando realmente do novo álbum do Jamie T, particularmente de uma música chamada “The Prophet”, não sei se é a minha favorita de todo o ano, mas com certeza está no topo. E quando digo no topo, é lá no alto mesmo. Eu não consigo pensar em mais nada agora.

O que você acha que será do estilo e da cultura pop em 2015?

Muito mais vômito sendo vendido na internet. O que eu acho que vai mudar? Eu não tenho nenhuma ideia realmente. Quer dizer, eu me preocupo um pouco pra ser honesto. Eu me preocupo um pouco com a obsessão das pessoas em saber como eu vivo. E quando digo, eu, me refiro a qualquer celebridade no geral.

Esta manhã você falou sobre a lista dos mais ricos.

Sim, quer dizer, foi bem estranho, mas tudo bem. Isso é realmente uma coisa muito britânica, eles tendem a fazer muito disso. – Oh, mas eu acho que a Forbes (USA) possui uma lista também!

Como você se sente sendo classificado nesse ranking contra outras pessoas?

Está tudo bem. Quero dizer, é tudo ridículo, a coisa toda é ridícula e todos que estão na lista sabem disso. Qualquer um que olhe para esta lista e se pergunte: “Oh, onde eu estou esse ano?” é um babaca.

Isso vai além da disputa. Lembro que no início do ano, sai para fazer algumas compras acompanhado da minha namorada, depois de terminarmos voltamos para casa, quando chegamos, havia fotos de nós dois online, pensei, pelo menos é no Perez Hilton, que para mim é um dos poucos e geralmente inofensivo em relação aos outros sites. Mas acho tão estranho que as ações triviais das pessoas estejam sendo usadas como posts para bombar na internet, como se fossemos algo de outro mundo. E eles não são, isso é apenas a vida. Eu acho que esse tipo de coisa cria uma atmosfera onde as pessoas só aspiram a fama através de coisas assim, e não por fazer um produto ou um trabalho legal. Então, sim, eu me preocupo um pouco.

Diga-me uma nova habilidade que você aprendeu em 2014?

Estou aprendendo a tocar guitarra. Comecei como quem não quer nada e agora estou realmente envolvido e gostando disso de verdade.

Violão?

Não, eu tenho uma guitarra elétrica mesmo, com um amplificador e um pedal de distorção – acústico é incrível, mas como, acústico é muito mais difícil, pelo menos para mim. Você pode brincar em uma guitarra elétrica e obter um bom som rapidamente, então eu realmente me divertindo com isso.

Quem era o seu herói cultural anônimo que você só descobriu em 2014?

Na verdade, curiosamente eu acabei de mencionar ela em outra entrevista. Sister Rosetta Tharpe, você conhece?

Não. Ela era religiosa?

Ela é esse tipo de herói anônimo, criadora do rock’n’roll, junto com, obviamente, todo o tipo de gente do sexo masculino nesse grupo onde uma senhora negra incrível tocava guitarra elétrica.

O que lhe aconteceu no ano passado que você não esperava que acontecesse de jeito nenhum?

Com certeza as extensões de cabelo com as quais tive que lidar por conta de Igor. Eu realmente não previa isso.

Isso foi uma coisa que te estressou ou chateou? Ter todo aquele trabalho de colocar e retirar as extensões de cabelo?

Digamos que não foi um período negro para mim, mas foi para a minha namorada. Ela não ficou muito feliz com todo aquele cabelo. Definitivamente não. (Risos) Eu não consigo pensar em outra coisa que tenha me incomodado. Oh sim! Quando eu fui ao México para promover “What If”, todos os fãs se juntaram e pagaram para uma banda fazer uma serenata para mim do lado de fora do hotel, eles ficaram tocando lá por um bom tempo. Olha só, por isso eu também não esperava.

Este é aquele momento em que você pensa: “Eu não posso acreditar que isso esteja realmente acontecendo…”.

Foi sim. Foi um daqueles momentos reais de “Nossa, isso é tão carinhoso, mas é realmente estranho”.

O que podemos esperar de você em 2015?

Bom, “Frankenstein” será lançado em 2015, e se tudo correr como planejado, nas próximas semanas estarei gravando mais um filme.

 

 

Fonte: Dazzed Digital

janeiro 10, 2015 às 14:44     Babi Comentar

Daniel Radcliffe para a revista ELLE
dan

Daniel Radcliffe cedeu uma pequena entrevista para o jornalista Mickey Rapkin, da revista ELLE, onde ele conversou com o ator sobre assuntos do coração.

“Quando você está em uma franquia global como a de Harry Potter, seu rosto aparece em tudo, desde fronhas de travesseiro até escovas de dente. O que fez com que o truque de Daniel Radcliffe fosse ainda mais impressionante: O menino bruxo nos convenceu a vê-lo como um homem sério. Ele foi de Equus, seu estrelato de 2008 na Broadway onde aparecia nu durante as cenas, depois retirou totalmente sua imagem infantil durante um seriado extra da HBO e ano passado a transformação se fez por completo quando estreou nos cinemas com a sua primeira comédia romântica “What If”, ao lado de Zoe Kazan. Fora das telonas, Radcliffe mantém um relacionamento sério com a atriz Erin Darke, que ele conheceu durante as filmagens de “Kill Your Darlings”. Aqui, ele fala sobre a perda de sua virgindade, a nudez pública em Equus, e as regras sobre ter amigos seriamente atraentes.” – Mickey Rapkin

 

Qual a única coisa que se você encontrasse no apartamento de uma mulher diria que vocês são completamente incompatíveis?

Se houvesse uma enorme prateleira de livros sobre culinária vegan, eu com certeza estaria em apuros.

Achei que você iria dizer um box de Harry Potter.

Não, e sabe por quê? Muitas pessoas possuem o box de HP, então provavelmente seria injusto não incluir todas as mulheres nessa situação.

Você ficou nu durante a peça Equus, e mergulhou semi-nu em What If. Você se sente confortável gravando essas cenas?

Não. Quero dizer, eu estava bastante confortável. Tem de haver algo a ser dito quando você tem 17 anos e fica completamente nu em frente a uma platéia, então, sim, eu estava incrivelmente aterrorizado.

Foi estranho para você depois ter encontros onde as mulheres poderiam dizer “Oh, eu vi Equus…”?

Particularmente não. Eu saí com poucas meninas naquela época, então normalmente eu entrava na brincadeira e dizia “Ah, legal! Então você já me viu nu.”.

Sobre a perda da sua virgindade, existe alguma coisa que você faria diferente?

Eu sou uma das poucas pessoas que não tem do que reclamar sobre a primeira vez.

Sério? Quer dizer, tudo correu como planejado?

Foi com alguém que eu conhecia muito bem. Fico até feliz em dizer que tive outras relações melhores desde então, mas comigo não terrivelmente embaraçoso como muitas pessoa dizem ser, por exemplo, um amigo meu ficou completamente bêbado e teve sua primeira relação com uma completa estranha debaixo de uma ponte.

Certo. Então pra você o sexo é melhor sem bebidas envolvidas?

Para muitas pessoas o sexo é melhor quando você bebe, mas para mim e a pessoa com a qual eu estiver definitivamente ele vai ser melhor enquanto estivermos sóbrios.

Há algum tempo você publicou poesias sob um pseudônimo. Quer compartilhar com alguma mulher algum versículo que escreveu?

Eu escrevi poesias de forma mais consistente quando eu estava com 16, 19 até os 20 anos. Nesse período eu teria escrito vários poemas de amor. E não tem nenhuma que eu queira ver colada na internet pelo resto da minha vida. (Risos)

Pegando o casamento dos seus pais como um exemplo, o que você aprendeu sobre o amor?

Quando eu assisto esses programas da tv americana sobre namoros, como o The Millionaire Matchmaker, acho que minha mãe e meu pai possuem um casamento incrivelmente sólido.

Espera! Espera! Você assiste The Millionaire Matchmaker?

Minha namorada me fez começar a assistir. E é incrivelmente repulsiva a obsessão que se cria sobre este tipo de programa. Os homens de lá não dizem nada além de se vangloriarem sobre suas vidas. É…

Há um rumor circulando de que você estaria noivo.

Eu não estou.

Você acredita em casamento?

Em partes. Porque parece que a coisa mais romântica que você pode fazer é ficar de pé em frente a todos os seus amigos e dizer o quanto você ama essa pessoa.

Não foi exatamente isso que a personagem de Zoe Kazan em “What If” disse?

Serio que ela quis dizer exatamente isso em “What If”?

Eu acho que sim.

Isso é estranho. É obviamente uma coisa que já está empregnada na minha cabeça. Mas ao mesmo tempo imagino algo fantástico sobre o casamento, eu não sei, mas isso estará nos meus planos futuros em algum momento.

“What If” fez um questionamento: homens e mulheres podem ser amigos? Quando isso dá errado?

Essas são duas perguntas que se confundem e as pessoas as encaram como uma só. Homens e mulheres podem ser amigos? Absolutamente. Eu possuo muitas amigas mulheres as quais eu nunca tive relações e nem me sinto atraído para ter.

Qual é a outra pergunta?

Homens e mulheres que estão romanticamente ou sexualmente atraídos um pelo outro pode se tornar amigos sem que isso nunca se torne um problema? Isso é muito mais difícil. Em análise, nessa situação tem que haver uma conversa sobre o assunto. Pelo menos pra mi teria de haver ou eu ficaria louco. Essa é a grande diferença. E é nisso que meu personagem no filme erra, ele espera e sofre com a incerteza por ter medo de ter essa conversa.

Quanto tempo você esperaria?

Alguns meses, provavelmente.

Você trabalhou com algumas atrizes lendárias durante as filmagens de Harry Potter. Em algum momento em particular, você recebeu conselhos sobre mulheres de alguma delas?

Na verdade fiz a pergunta. Eu tinha uns 16 anos e estava trabalhando com Imelda Staunton. Eu tinha uma namorada e ela disse, “Oh, eu não vou fazer nada para o dia dos namorados. Não farei nada disso.”, eu transmiti a mensagem para a Imelda e ela disse: “Bobagem!, Não importa o que a garota diz, só vá e faça alguma coisa!”

O que você preparou para o dia dos namorados desse ano?

Eu não me lembro. Mas provavelmente escrevi um poema. (Risos)

 

  Fonte: ELLE

janeiro 7, 2015 às 16:49     Babi Comentar