Daniel diz que voltaria a interpretar Harry Potter! / Autor: Luiza Carvalhaes

Em uma nova entrevista para o Chicago Sun-Times, Dan disse que voltaria a interpretar Harry Potter, personagem pelo qual ganhou reconhecimento mundial, porém somente se o material fosse bom o bastante. Durante a entrevista, que é parte de seu trabalho na divulgação de seu novo filme, A Mulher de Preto, Dan foi perguntado se aceitaria interpretar Harry Potter nos cinemas novamente. Confira:

“Se fosse bom o bastante, eu seria Harry Potter novamente. Se fosse qualquer coisa menos que bom o suficiente, eu diria não”, diz Radcliffe. “Eu sei que não seria Harry Potter outra vez por nostalgia ou por obrigação. Mas se eu aprendi alguma coisa na vida, é que é besteira não participar das coisas. Meu lema é: nunca diga nunca.”“Se isso fosse bom o suficiente, eu seria Hary Potter novamente. Se fosse qualquer coisa menos que bom o suficiente, eu diria não”, diz Radcliffe. “Eu sei que não seria Harry Potter outra vez por nostalgia ou por obrigação. Mas se eu aprendi uma coisa na vida, é que é besteira não participar das coisas. Meu lema é: nunca diga nunca.”

Confira a entrevista completa clicando em ‘Continue lendo’!

Daniel Radcliffe nunca enterrará Harry.

Ele sempre será Harry. Daniel Radcliffe deixa esse fato bem claro. Você está jogando o jogo de ‘E se’ com um dos rostos mais conhecidos do Planeta, e o bem-humorado de 22 anos está ansioso como um cachorrinho.

E se JK Rowling escrever outro livro de Harry Potter?

E se o transformasse em um novo filme?

E se eles o quiserem para interpretar um Potter na meia-idade algum dia? Ele não precisaria de uma ‘pança’, mas ainda assim, ele poderia por as especificações de novo?

“Se fosse bom o bastante, eu seria Harry Potter de novo. Se fosse qualquer coisa menos que bom o suficiente, eu diria não”, Radcliffe disse. “Eu sei que não seria Harry Potter de novo por nostalgia ou por obrigação. Mas se eu aprendi alguma coisa na vida, é que é besteira não participar das coisas. Meu lema é: nunca diga nunca.”

Foi esse lema que o trouxe para a sua carreira pós-Potter. Depois de estrelar a amada franquia do bruxo de óculos com um arrecadamento mundial em cerca de $7.7 bilhões, ele está pronto para deixar a varinha de lado, pelo menos por enquanto.

“Eu tenho tido um ótimo primeiro ano longe de ‘ser Harry”, ele disse. “Eu fiz esse filme e fiz uma peça da Broadway.”

O filme é A Mulher de Preto, que estréia na sexta-feira (nos EUA). Radcliffe interpreta um advogado viúvo chamado Arthur Kipps que viaja para uma remota vila para dar sentido aos papéis de uma cliente, recentemente falecida. Em vez de ficar em algum simpático hotel local, ele decide se hospedar em uma antiga e arrepiante mansão, onde ele encontra uma misteriosa mulher vestida de preto. É o fantasma de uma mulher desprezada que tem desejo de vingança.

Isso traz a pergunta: Por que não sair correndo dali gritando e reservar-se em alguma suíte da embaixada que seja boa e livre de fantasmas?

“Eu estava mesmo perguntando, ‘Por que diabos ele fica na casa?’ Eu queria pegar esse personagem, chacoalhá-lo e dizer que ele não está fazendo certo em se hospedar em uma casa assombrada”, Radcliffe disse.

“Eu respondi essa pergunta dizendo pra mim mesmo, ‘Ele é um homem jovem que perdeu sua a esposa que amava. Ele está quase procurando por uma garantia de que ela foi para um lugar melhor e que eles se encontrarão algum dia.”

“Ele fica na casa por causa do poder da curiosidade”, ele disse. “Curiosidade é nos faz humanos. O personagem que eu interpreto, independentemente do que aconteça, precisa saber o que aconteceu nessa casa, com a mulher de preto.”

“No fim, o filme é sobre como a dor toca as pessoas”.

É também sobre aqueles momentos dos clássicos filmes de terror em que você deixa sua pipoca cair.

Quando você é HarryPotter, no entanto, obter seus calafrios não é fácil.

“Tem um momento no filme onde o fantasma foge de mim para cima da janela. Eu não sabia quão ruim seria até eu ver a primeira edição do filme”, Radcliffe disse. “O diretor simplesmente disse ‘Apenas ande até a janela e depois ande de volta’. Ele não me disse que haveria algum efeito especial ali.”

“Quando eu vi o filme eu quase perdi minha metade interior. Mesmo no set, os membros da equipe eram meio que protetores comigo. Eles sabiam que os efeitos dos fantasmas seriam assustadores. E eu vi um homem adulto da equipe pronunciar as palavras, ‘Daniel, se mexa! ’. Pessoas que viram o filme estavam gritando, ‘Dan, saia daí! ’”

No apartamentoem New York onde ele tem vivido sozinho pelo último ano, Radcliffe disse que ele estava ligando algumas luzes no meio da noite quando as filmagens foram feitas, e ele estava na Broadway se apresentando em How ToSucceedIn Business Without Really Trying.

“A má notícia é que meus cães vivem com meus pais agora. Eu me mudei”, ele disse. “Eu não pude trazê-los comigo porque eu estou tão ocupado que eles nunca mais comeriam.”

“Você precisa ter cães na sua casa quando você faz um filme de terror, para checar os barulhos”, ele brinca.

Seus pais são Alan Radcliffe, um agente literário, e Márcia Gresham, uma diretora de elenco, duas pessoas que sempre o apoiaram sua vontade de atuar. Eles o ajudaram em audições em peças da escola e o apoiaram em sua decisão de continuar nisso e seguir em frente.

Seu primeiro grande papel foi em 1999, em uma versão para TV de David Copperfield. Em 2001, ele estavaem O Alfaitedo Panamá como o filho de Geoffrey Rush e Jamie Lee Curtis.

David Heyman, produtor dos filmes Harry Potter, compareceu a uma peça onde conheceu Daniel e seu pai na platéia.

“No momento em que olhei Dan eu pensei, ‘Ele é Harry Potter’”, Heyman disse sobre escalar Radcliffe para Harry Potter e a Pedra Filosofal, de 2001.

A franquia de Potter, que se encerrou com Harry Potter e as Relíquias da Morte – Parte 2 no ano passado, se tornou o álbum de infância de Radcliffe.

“Eu estou realmente orgulhoso dos últimos dois filmes”, ele disse. “Eles superaram meus sonhos. É ótimo ouvir pessoas que nem mesmo assistiram aos outros filmes, e não tem nenhuma relação emocional, dizendo que amaram o último filme”.

Alguns achavam que ele merecia uma nomeação ao Oscar por interpretar Potter.“As pessoas me perguntam sobre minhas chances e eu disse que seria mais fácil eu ser acertado por um Oscar se ele viesse voando na minha direção”, ele disse.

“Eu não preciso de mais nada. Eu tive o papel de uma vida”.

Ele saiu com algumas lembranças de Potter. “Eu fiquei com dois pares de óculos. Tudo que eu tive que fazer foi pedir”, ele disse uma risada. “Eu tenho um par de óculos do primeiro filme e um do último”.

Radcliffe espera terminar atrás das câmeras. “Eu adoraria dirigir”, ele disse. “O problema é que eu empregaria todos os meus amigos. Eu não teria uma única pessoa desagradável ao meu redor”.

“Mas eu amaria pisar atrás das câmeras e continuar na frente delas, também”, ele disse. “A vida é cheia de possibilidades”.

A única coisa que não é possível: desenvolver uma atitude de estrela.

“Eu sou apenas um tipo louco de ator que só se importa com o trabalho”, ele disse. “A verdade é que eu não tive uma atitude assim durante os últimos anos, o que foi uma escolha consciente. Por que ter uma atitude assim quando seu trabalho é ser um bruxo e derrotar o mal e voar pelos ares? É um bom trabalho”.

“Eu sou apenas uma estrela de cinema ruim!”, ele chora. “Mas a verdade é que eu nunca gostei de pessoas com essas atitudes. Eu nunca confiei nesse tipo de pessoa”.

“Se algum dia eu me tornasse esse tipo de ator, eu teria que me sentar… e ter uma conversa comigo”.

 








2011 - 2016   DanielRadcliffe.Com.Br