Nova entrevista para o Collider.com + nova foto! / Autor: Luiza Carvalhaes

Durante o período de lançamento do DVD e Blu-ray de A Mulher de Preto, Dan concedeu muitas entrevistas. Uma delas foi via telefone para o site Collider.Com, feita alguns dias atrás. Nela, Dan falou sobre TUDO: A Mulher de Preto, sua cena preferida, o que gostaria de melhorar no filme, como se sentiu com o lançamento do filme, sobre quantos takes gosta de fazer, como se sente em relação a um possível relançamento de todos os filmes da série Harry Potter em 3D, seu novo projeto Kill Your Darlings e até sobre qual personagem das HQ‘s ele gostaria de interpretar! Confira a tradução da matéria completa abaixo.

Além disso, hoje de tarde, o fotógrafo Travis Blue postou hoje em seu twitter uma nova foto de Dan com o figurino de seu personagem Allen Ginsberg, que você confere em nossa galeria pelos links a seguir:

tumblr_m4ul413X1o1qzzunbo1_1280.jpgtumblr_m4ul413X1o1qzzunbo1_1280.jpgtumblr_m4ul413X1o1qzzunbo1_1280.jpgtumblr_m4ul413X1o1qzzunbo1_1280.jpg

Inicio > Photoshoots > 2012 > Travis Blue (HQ)

Uma das surpresas de bilheteria desse ano foi o terror A Mulher de Preto. Estrelando Daniel Radcliffe em seu primeiro grande papel depois de Harry Potter, o terror gótico é baseado em um romance de 1983 de Susan Hill e arrecadou cerca de $125 milhões de dólares ao redor do mundo. De fato, o filme foi um sucesso tão grande que a Hammer, Alliance Films, Cross Creek Pictures e a autora Hill estão se juntando para um sequência intitulada A Mulher de Preto – Anjos da Morte. O filme se passará 40 anos depois dos eventos do primeiro filme, e mostrará um novo casal na mesma casa estranha.

Com o lançamento do filme em Blu-ray e DVD essa semana, eu recentemente fiz uma entrevista exclusiva por telefone com Radcliffe. Nós conversamos sobre o sucesso do filme, se ele se sentiu aliviado por lançar um filme que não tivesse as palavras “Harry Potter” no título, o que ele acha que realmente funcionou no filme e se teve algo que ele desejou poder refazer, quantos takes ele gosta de fazer e mais. Além disso, falamos sobre seu pensamento sobre a Warner Bros. eventualmente relançar a série Harry Potter inteira em 3D, o drama Kill Your Darlings (no qual ele interpreta o poeta Allen Ginsberg), seus critérios para escolher projetos futuros, e se há algum personagem de histórias em quadrinhos que ele gostaria de interpretar (Flash).

Collider: Quando A Mulher de Preto foi lançado e se saiu excepcionalmente bem nas bilheterias, você se sentiu aliviado pensando “Graças a Deus, eu vou poder fazer outros filmes além de Harry Potter, e as pessoas vão vir assisti-lo”?

Daniel Radcliffe: Absolutamente. Sim, eu nunca soube, realmente, como era ter um filme saindo e sentir toda aquela pressão em torno do lançamento. E obviamente em Potter era sempre uma questão de quão grande o filme ia ser. Então, ter um filme onde você realmente não sabe como vai se sair no final de semana de abertura e onde você estará sendo lançado com vários outros filmes e você não tem aquele reconhecimento massivo que, obviamente, Potter tinha. Então, você tem que se desfazer do reconhecimento entre outros filmes. Eu acho que foi pra um teste de qualidade do filme que as pessoas, não só foram assistir no primeiro fim de semana, mas, particularmente no Reino Unido, voltaram por semanas e semanas para assistir de novo. E isso foi ótimo e, pra mim, pessoalmente, ver que as pessoas ainda virão apoiar um filme em que eu esteja que não sejaHarry Potter, ver o que eles fizeram foi fantástico. E eu sinto que trabalhei duro no filme, tanto trabalhando durante as filmagens e depois durante a promoção dele, então foi adorável ver todo aquele trabalho recompensado. Foi muito gratificante, na verdade. 

Você é o tipo de pessoa que gosta de ir ao cinema em finais de semana de abertura, ficar nos fundos e ver a platéia? Especialmente em algo como esse (filme) que terá a platéia reagindo fortemente a ele?

Radcliffe: Quando esse filme saiu, eu já o tinha visto três vezes, e duas dessas vezes foram nos fundos de salas de exibições bem cheias, então eu não senti a necessidade de ir no fim de semana de abertura. Mas esse filme é um particularmente bom pra observar a reação da platéia. Nós o assistimos uma vez e eu me sentei perto da frente da tela e outra vez nós sentamos perto do fundo, e é interessante porque quando você se senta na frente você não tem uma ideia de como o filme está indo, de verdade. Mas quando você se senta no fundo e você pode realmente ver a reação das pessoas, você pode ver todo mundo pulando e meio que dar empurrões uns nos outros enquanto gritam. É um filme muito, muito satisfatório de assistir assim, porque o que mais gosto de fazer é escolher uma pessoa, normalmente um grupo de garotas adolescentes, enquanto elas até elas se apavorarem e gritarem, e jogarem pipoca pra todos os lados. 

A aprendizagem é 20/20; quando você olhar para trás no filme agora, o que você acha que realmente funcionou, e tem algo sobre o filme que você gostaria de ter feito um outro take ou explorado mais?

Radcliffe: A parte do filme que eu acho que é a melhore e a mais interessante é os 15 e 20 minutos no meio em que não tem diálogo e é simplesmente eu sendo perseguido ao redor da casa. Em termos de coisas que eu acho que nós poderíamos ter feito diferente, quer dizer, estou muito feliz com o filme e sempre haverá coisas no meu próprio desempenho que sinto que eu poderia ter feito melhor. Isso é parte do processo e isso é onde eu estava como ator na época, isso foi há um tempo, nós fizemos agora – isso foi a um ano e meio, o que é muito tempo em termos de quanto você se desenvolve nesse tempo. Mas sim, certamente há coisas que agora eu assisto ao filme e olho pra trás, e penso “Oh, eu podia definitivamente ter feito aquilo melhor”, ou isso ou aquilo. Mas falando no geral, eu estou feliz, e particularmente como sessão do meio do filme onde – essa é a sessão onde… Se eu não estou fazendo meu trabalho naquela sessão então isso realmente não deveria funcionar, porque eu sou tudo que está lá. Essa é a sessão do filme para qual eu olhei com bastante orgulho.  

Alguns atores preferem o método de Clint Eastwood de 2 takes e alguns atores preferem o método de David Fincher de 50 takes; onde você se encaixa nesse espectro e qual o máximo que você já fez?

Radcliffe: O máximo que eu já fiz? O máximo de takes que eu já fiz… Não foi uma cena na qual eu estava. Eu estava no set para chegar a 36 takes. Isso foi no segundo filme (Harry Potter e a Câmara Secreta), eu acho. Onde eu me encaixo? É interessante, é fantástico pra mim que Fincher tem tempo pra fazer 50 takes, eu acabei de fazer um filme onde nós filmamos por 26 dias, e há algumas cenas nas quais você tem um take, mas não é por causa do método “só um take” de Clint Eastwood, isso é porque você só tem tempo pra isso. Então eu não sei. Para ser honesto, enquanto eu sentir que o diretor conseguiu o que ele queria, eu não me importo se você fez 1 take ou 100. Meu nível de energia é tanto que eu posso continuar por quanto tempo você precisar de mim. Eu estou lá até o diretor sentir que conseguiu, e quando ele consegue, eu quero seguir em frente, mas até eu sentir que ele está feliz, então eu não me sinto realmente confortável em seguir para outra cena. Acho que também tem essa coisa, às vezes onde, se é uma cena grande, seria ótimo fazer muitos takes, e só sentir que você deu todas as opções, todos os jeitos de interpretar que você tem. Mas se é uma cena pequena e você sente que está ficando preso em alguma coisa, e chega ao take 10 em uma cena pequena, então como ator você começa a pensar, “Bom Jesus, o que eu tenho que fazer aqui, qual a versão certa disso?”. Mas não é algo com o que você se envolve muito, eu tendo a simplesmente fazer o que o diretor quer. 

Eu tenho um pressentimento que daqui um tempo a Warner Bros. vai relançar a série Harry Potter inteira em 3D. Como você se sente sobre essa possibilidade?

Radcliffe: Eu não tenho ideia… Sim, eles provavelmente vão, não vão, eu suponho? Talvez a moda do 3D tenha passado até nós chegarmos perto disso, quem sabe? Eu não sei, eu tenho certeza de que haverão muitos box e relançamentos em 3D de tudo. Em termos de o quanto isso afeta minha vida, isso realmente não afeta mais do que mais coisas diferentes pra eu assinar. Será um novo box pra eu colocar minha assinatura. A coisa que eu sempre digo sobre o 3D é que não é pra mim, eu não amo isso. Se você gosta de 3D, e gosta de Harry Potter, então eu não tenho dúvidas de que você vai amar Harry Potter em 3D. Mas se você não gosta de 3D, então isso provavelmente não vai acrescentar muita coisa pra você. A única coisa que me aterroriza é a ideia de que em 20 anos ou mais eles provavelmente vão refazer os filmes. Só com a extensão do mundo em geral, provavelmente vai levar só 10 anos antes das pessoas estarem prontas para refazê-los de novo. Então, sabe, eu poderia voltar e interpretar Lupin ou quem eu quiser em 20 anos talvez.

Eu estou muito animado para Kill Your Darlings, que você comentou que acabou de terminar. Você interpreta uma pessoa muito famosa; você pode falar um pouco sobre a pesquisa que você fez, quão animado você está com esse projeto, e o que as pessoas podem estar ansiosas pra ver?

Radcliffe: Eu acho que as pessoas podem estar ansiosas para um dos melhores conjuntos de elenco e equipe de filmagens, um dos melhores roteiros que eu acho que, como um elenco, nós estávamos todos falando no set sobre como fazia tempo que não víamos um tão bom quanto esse. É um roteiro fantástico. Pra te dar um resumo do elenco, temos Bem Foster, Michael C. Hall, Dane DeHaan, Jack Huston, Kyra Sedgwick, Jennifer Jason Leigh, David Cross, Elizabeth Olsen… É um elenco realmente bom. Em termos de pesquisa para interpretar Allen, foi realmente sobre trabalhar no meu sotaque americano, e ter certeza de que estava certo e que parecia com a minha voz e tinha um sutil elemento de New Jersey, mas ele realmente não tinha muito sotaque, Ginsberg, então não estava muito focado nisso. E também assisti a muitos clipes no Youtube, porque mesmo que não existam filmagens de Allen com 19 anos, era interessante assistir pessoas falando sobre ele e a pessoa que ele era e ver a pessoa que ele se tornou. Na verdade, a única coisa que eu sempre noto quando assisto Allen, é que ele é realmente o mais – embora ele possa parecer um pouco introvertido, em alguns momentos – o membro mais expressivo, entusiasmado, e meio excitável desse grupo. E era realmente muito – ao momento em que eles o conheceram – doce, totalmente conformista, apenas desesperado para ser liberado. Com certeza desejando a emoção que ele sonhou para sua vida em New York. E é sobre ele conhecendo todas as pessoas certas e todas as pessoas erradas ao mesmo tempo. 

Tenho certeza de que você tem a sua escolha de um monte de projetos diferentes: Qual o seu critério ao avançar em termos de seus papéis nos filmes e você já tem tudo pronto para algo que você estará começando num futuro próximo.

Radcliffe: Eu acho que meu critério é só… Eu li alguns thrillers recentemente, alguns roteiros de thriller, e todos meio que pareceram o mesmo, havia alguma parte interessante em alguns deles, mas nenhum deles parecia que fosse algo novo. Então eu acho que a primeira coisa que eu olho quando leio um novo roteiro é se essa história já foi contada antes? Originalidade é realmente… É um longe caminho até atingir isso no meu livro.

Então você já descobriu o que vai fazer agora?

Radcliffe: Eu não tenho nenhum plano imediato. Há muitas ofertas ao meu redor, mas eu quero fazer algo que eu esteja muito – eu nunca estive no set de algo pelo qual eu não estivesse muito apaixonado, e não consigo imaginar estar em um set sem estar me sentindo assim sobre alguma coisa, então eu tenho que esperar até eu encontrar alguma coisa que eu saiba que quero fazer. 

O gênero das histórias em quadrinhos está mais popular que nunca, este é um gênero que te anima? E você consegue ver a si mesmo querendo interpretar outro desses papéis icônicos?

Radcliffe: Sim, com certeza. Eu não sei quem sobrou, quero dizer, muitas HQs têm… Elas já foram todas feitas. Eu acho que ninguém tenha feito o Flash ainda, e esse é um que eu provavelmente gostaria de fazer. Além dele, não tenho certeza sobre quais HQs ainda não foram feitas.








2011 - 2016   DanielRadcliffe.Com.Br