Entrevista do Daniel para a ShortList Magazine / Autor: Bia Antunes

Confiram a entrevista traduzida do Daniel para a revista ShortList, onde ele fala sobre Kill Your Darlings, A Young Doctor’s Notebook, e mais:

Para seu próximo truque

Daniel Radcliffe está deixando um certo menino bruxo para trás. Por Lucy Foster

A primeira coisa que você percebe quando encontra Daniel Radcliffe é o quão baixo ele é. E, de algum jeito, isso muito confortante. Afinal, ele é Harry Potter – nada menos que um rapaz crescendo. Ele poderia usar uma fantasia de macaco pelo resto da vida que a maioria das pessoas ainda veria um rapaz de óculos e com uma varinha. Mas é bem confuso quando você percebe que esse menino famoso, que quando a ShortList encontrou pela primeira vez era pálido após um longo voo pela manhã, é na verdade um homem.

Um homem crescido – agora com 23 anos- que é interessante, eloquente, apaixonado pelo trabalho e bom, sem guarda costas. Isso tudo soa horrivelmente padronizado, mas essa não é a intenção. Você só não espera que crianças famosas se tornem adultos ajustados e sensatos que fazem diversas escolhas para atuar.

”Eu não acho que haja nenhuma razão para que eu faça qualquer merda” ele diz, francamente. ”Houve um período em que, por que eu não estava fazendo nada de errado, os Jornais Britânicos queria me estragar dizendo que eu iria fazer um remake de Criaturas Grandes e Pequenas.”

Então, se merdas de trabalhos e veterinários estão fora do menu, o que está? Bom, há sangue, humor frio e negócios cruéis de amputações primitivas.

SANGUE E VÍCIO

Nós estamos nos encontrando com Radcliffe para discutir A Young Doctor’s Notebook, uma série de quatro partes da Sky Arts, baseada na novela autobiografica de Mikhail Bulgakov (O Mestre e a Margarida). Radcliffe  atua como um jovem médico que vai para a universidade na época da Rússia revolucionária. Jon Hamm atua como uma versão mais velha de Radcliffe, que visita seu ‘eu’ mais novo para que evite que ele sucumba ao vício das drogas.

”É difícil explicar essa série.” diz Radcliffe. ”Você começa a dizer que é sobre um médico Russo em 1927 operando pessoas pela primeira vez e, eventualmente, ele fica viciado em morfina. Mas eu prometo que é uma comédia. O que é único sobre isso é que há a combinação de sangue macabro e uma jornada de machucar o coração.”

Essa não é a única coisa única: Você provavelmente nunca viu Don Draper e Harry Potter compartilhando um banho ou dois atores eminentes – de tamanhos tão diferentes – tendo uma briga. ”Eu sou surpreendemente robusto” diz Radcliffe. ”Eu estive treinando com o departamento de acrobacias desde quando eu tinha 12 anos – Eu amo tudo isso. E eu estou satisfeito pois dei um belo soco em Jon. Eu me sai bem disso tudo.”

Amputações, traqueostomias e extrações de dentes são também evidentes assim que o doutor graduado de Radcliffe luta para lidar com sua pouca experiência quanto ao sangue espirrando. Telespectadores não são poupados dos aspectos lúgubres da medicia do início do século 20. Houve um médico consultor no set, mas a cirurgia na Rússia em 1927 era tão rudimentar que um estranho velho homem seria tão bom consultor quanto.

Não há dúvidas para Radcliffe em como os devotos de Hogwarts verão as vísceras e o humor sujo. ”Não é sobre chocar as pessoas só por chocar, é sobre fazer um bom trabalho e o que me interessa”.

”Digo, eu interpretei um cara que simulava sexo com um cavalo [em Equus] quando eu tinha 17 anos, e os fãs de Harry Potter estavam bem com isso.”

Radcliffe claramente lapidou os elementos de seu último trabalho. E com nada menos, ele saiu disso com uma nova apreciação após ver através das pernas de alguém. ”Você acha que quando chega aos ossos o seu trabalho está pronto, mas na verdade ainda há uma enorme quantidade de músculos e gordura.” Se você está comendo, nós só podemos nos desculpar.

HERÓI ATUANTE

O ator londrino sempre foi uma cabeça esperta sobre ombros jovens e A Young Doctor’s Notebook é a última tentativa perspicaz de imitar a carreira de um ator parceiro diminuitico

”A pessoa pela qual vim me inspirando é Dustin Hoffman” ele admite.”Na verdade, eu passei por ele noutro dia e ele absolutamente mais baixo, assim como eu. Mas ele estava em todos esses bons papéis, de suspenses a romances. Então há uma forma de fazer isso de uma forma na convencional.”

A primeira aliança de Radcliffe com o não convencional foi em Equus. Depois, ano passado, quando completou 11 anos no show da Broadway How To Succeed In Business Without Really Trying. Ele recebeu vários prêmios, mas não um Tony (0scar dos teatros). ”Eu não fui nomeado e todos perguntavam se eu estava bem com isso. Era como se eu tivesse perdido um parente. Na América, as pessoas são mais ambiciosas para ganhar prêmios. Mesmo que prêmios sejam ótimos, eu não fico preso a isso.”

E porque ele estaria? Um mês após terminar seus shows na broadway, o filme The Woman In Black se tornou o filme britânico de terror de maior sucesso nos últimos 20 anos. Inevitavelmente, ele foi ligado a um papel em uma reimaginação igualmente gótica de Frankestein, agora como o assistente corcunda do doutor, um papel que ele se mostra frustrantemente modesto. ”Era algo que eu estaria interessado,” é o máximo que ele nos dará, mas é claro que ele tem uma ética de trabalho que você não veria em qualquer garoto de vinte e poucos anos.

”Fazer Equus foi importante,” ele explica. ”Mostrou as pessoas que eu não queria ficar preso a fama Potter por quanto tempo eu pudesse. Eu acredito que ultimamente eu sou ambicioso pois quero provar que todos que acham que é impossível emergir de Harry Potter e se sair bem é impossível.”

Para seu próximo passo, ele espanou a poeira de seu sotaque americano para uma ode alternativa aos poetas, chamado Kill Your Darlings, em que ele atua como Allem Ginsberg. Para pesquisar sobre o papel, ele obviamente sentou em cafeterias usando speed, certo? ”Nós não estávamos saltitantes o tempo todo, mas o que foi bom foi que Dane (DeHaan, que atua como Lucien Carr), Ben (Foster, que atua como William Burroughs) e Jack (Houston que atua como Jack Kerouac) tiveram uma mentalidade de turma. Nós sentamos, rimos e nos conhecemos durante esses 25 dias.

”O script foi uma dos melhores que já li. Houve um sentimento de que se nós pudéssemos filmar isso, nós teríamos que nos esforçar para ferrar com tudo. E nós melhoramos o filme em virtude do modo em que filmamos, no estilo guerrilha.”

Esse tipo de filmes forneceu a um menino milionário a entrar nos teatros nos quais você  esperaria que estudantes entrassem. ”Nós fomos expulsos da Universidade de Columbia as 4 horas da manhã.” Radcliffe ri, “Nós corríamos pelo campo tentando fazer uma última cena antes de sermos expulsos. Universitários bebados estavam como, ‘Que p*rra é essa?’. E eu estava de Ginsberg com uma permanente.

Há esperança para ele ainda.

Tradução e Adaptação: Beatriz Antunes

Fonte: ShortList.com 








2011 - 2016   DanielRadcliffe.Com.Br