Entrevista para o Time Out London / Autor: Andressa

Daniel concedeu uma entrevista à Time Out London, onde falou sobre Harry Potter, a peça que está atualmente em cartaz, “The Cripple of Inishmaan”,  “Kill Your Darligns”, filhos e mais. Confira:

Nós conversamos com o ex-bruxo sobre as cenas de sexo, crescer e deixar Hogwarts para trás

Entrevista por:Caroline McGinn
Tradução e Adaptação: Gustavo Borella

Um carro elegante anda devagar até a parte de trás dos escritórios da Time Out a agente (loira, no telefone) e dois grandes homens saem para fora. É uma entrada padrão do showbiz. Até Daniel Radcliffe aparece por trás deles: nervoso, nervoso, intenso, apologético, radiante, ofuscado por seu guarda-costas e motorista.
Há a fama – e há Potter. Radcliffe não só sobreviveu a muito, mas cresceu como um dos atores mais despretensiosos que você poderia esperar encontrar: um lúcido, brilhante de 23 anos, com papéis credíveis, como na peça Equus há um tempo atrás.

Ele é uma prova de como sobreviver à maldição de ser uma estrela infantil: relações amorosas conduzidas discretamente para longe dos holofotes; na adolescência ele já consumiu bebida, mas abandonou-a em 2010, o foco sobre como trabalhar com as melhores pessoas. Isso é o que o traz de volta a Londres: que exige fisicamente e mentalmente por sua vez, Radcliffe sobe aos palcos como ‘Cripple Billy’, um garoto irlandês que vive numa aldeia irlandesa, na peça de humor negro de Martin McDonagh, “The Cripple of Inishmaan”. Também em breve ele deve voltar aos cinemas com papéis surpreendentes como o poeta gay Beat Allen Ginsberg em “Kill Your Darlings” e como um cara em que crescem chifres em “Horns”.

Sem chifres hoje, Radcliffe esta sujo e suado após oito horas de ensaios. Mas ele ainda está com cheiro de feijão, falando muito rápido e pulando para demonstrar como ele torce seu corpo para desempenhar o papel. Em última análise, é o seu julgamento, bem como o seu entusiasmo que o marcam agora, mais do que o menino que viveu a franquia Potter, mas o adulto que é agora.

Famoso aos 11, multi-milionário aos 19 anos. Porque você não está completamente egocêntrico?
“Essa é a pergunta. Eu tive pais muito bons. Acho que eu tenho sorte disso. Eu estou sempre espantado com a forma como o comportamento de alguns atores é realmente nojento. Isso é uma coisa que nunca vai acontecer em um dos meus sets. A vida é muito curta para trabalhar com idiotas. E eu tive sorte o suficiente para não acontecer isso comigo“.

Em sua ultima apresentação em Londres na peça “Equus” você estava nu. Isso foi uma versão de rebeldia adolescente?
“Não. Foi uma declaração de intenções. Algumas pessoas estavam sempre se concentrando na nudez, mas as pessoas que importavam sentavam-se e falavam: “Ok, a peça não é brincadeira, é um passo ousado, ele quer fazer algo sério.”

Em seu novo filme sobre Allen Ginsberg, as pessoas já estão falando sobre as cenas de sexo gay em vez de poesia …
“Eu não me importo de como as pessoas verão o filme. Se eles vêem isso pelas razões erradas, eles podem ter alguma coisa com isso. Eu acho que vai ser um momento ‘Equus’ para mim quando ‘Kill Your Darlings’ for lançado neste outono. E não só porque eu estou ficando nu. Não é nu frontal, assim você não precisa se preocupar com isso! É uma performance do cinema que eu me orgulho.”

Agora você está de volta em West End pra atuar como um garoto irlandês que sonha em ir para Hollywood. Por que este papel agora?
“Foi algo sem pensar. Eu li uma peça de Martin McDonagh e me apaixonei por ela.”

Seu personagem, Billy, sofre intimidado por todos. Como é isso?
“Eu amo ficar apanhando. Eu encorajo as pessoas a me bater mais forte. Há uma queda onde eu machuco meu braço e não só é muito rápido e parece horrível, ele também faz um ruído muito alto. Eu fui ensinado como cair por acrobatas sobre Potter. Por idade, na minha hora de almoço, gostaria apenas de dar a volta e coreografar cenas de luta. Para se divertir. Então agora eu sou muito bom de ser jogado ao redor. Eu salto, nas palavras de meus amigos.”

Qual influência tem no seu corpo atuar no estilo de Mark Rylance? Quando Rylance interpretou Rooster Byron ele mesmo parecia ficar mais baixo.
“Eu espero que isso não aconteça comigo! Minhas panturrilhas e parte inferior das costas estão realmente sofrendo, mas se eu conseguir através de ensaios eu nunca vou ter que estar nessa posição por mais tempo do que eu estou agora. Embora meu braço vai ficar assim por um tempo (mostra um hematoma enorme irregular).”

Por que se esforçar assim?
“As histórias que eu estou interessado são aquelas difíceis e talvez isso requer um pouco mais de você. Eu amo meu trabalho e eu quero ganhar o direito de fazê-lo todos os dias.”

Você é um viciado em trabalho?
“Sim, 100 por cento. Eu não sei quando foi a última vez que eu tive férias. Agora estou tentando ativamente desenvolver outros interesses. Eu fiz escalada pela primeira vez outro dia. Minha ideia de relaxamento não é deitado em uma praia. Tenho que se movimentar, fazer coisas. Embora eu seja uma pessoa do showbiz . Eu assisto “Pointless”, seguido por “The Chase” na ITVplus one, porque eles são exibidos ao mesmo tempo, então você precisa do plus, se você quer ver os dois. E “University Challenge”.”

Você já assistiu os seus próprios filmes?
“Não, não. Nunca, jamais assisti eles.”

O fato que você está sujeito a ser fotografado o impede de sair em Londres?
“Eu fico em casa. Sair não vale a pena. Não é que eu fique deitado o tempo todo, mas há esses momentos. E saindo tem um certo nível de ansiedade. A maioria das pessoas vai ser legais, mas há sempre um cara bêbado que fica chato.”

Quer atuar novamente como Harry se J.K. Rowling escrever uma continuação daqui a dez anos?
“Mesmo que Jo fizesse, o que é improvável, eu tomaria um monte de precauções. Eu tenho feito tanto trabalho para me estabelecer como algo fora de série que eu seria muito hesitante em voltar. Tenho 23 anos, o que é muito velho para atuar com uma capa de estudante. Eu nunca vou fechar totalmente a porta. Mas há mais coisas. A participação especial como o pai de Harry? Isso seria perfeito!”

Você faria outra grande franquia, como Potter?
“Sim. Franquia não deve tornar-se uma palavra suja. Se diretores como J.J. Abrams e Joss Whedon continuar fazendo o que está fazendo, não vai ser. Eu adoraria fazer parte de uma de novo. Talvez não principal: um papel de apoio legal. “Star Wars” seria fantástico. Isso seria loucura legal .”

Quando a Time Out o entrevistou alguns anos atrás, você estava vivendo em Chelsea muito perto de seus pais. Você ainda leva suas roupas sujas?
“Não, isso parou! Às vezes, eles falavam “Oh, muito bom! Você está aprendendo como fazer isso agora! “Eu estou cuidando melhor de mim mesmo, em geral. Eu estou cozinhando para mim mesmo um pouco mais agora. Mas eu nunca cozinhei para alguém. Pelo menos ainda não.”

Seus anos de adolescência foram excepcionalmente expostos – mas muitas pessoas acham seus 20 anos ainda mais difícil. Como os seus estão?
“Seus 20 anos são estranhos. Você sente que deve ser crescido, mas na verdade você não é. Eles estão realmente bastante desconcertantes. Você está constantemente dividido entre aquela coisa de “eu sou jovem!” E então, “eu não sou!”. Há certas expectativas que você tem sobre seus 20 anos, quando você é um adolescente e nenhum deles realmente acontece. Você acha que tudo vai ser mais fácil, mas a vida fica mais sangrenta e complicada. Espero ser mais estável. Quero dirigir antes dos 30. E terminar de escrever algo que eu me orgulhe. Acabei de terminar um roteiro, uma comédia muito, muito, muito negra. Eu sempre amei a forma como Martin McDonagh escreve. Econômico, rítmica. Esse é o tipo de escrita que eu me inspiro. E o meu roteiro tem uma boa quantidade de sangue nele também. Dessa forma eu estou rasgando sem Martin!

Gostaria de sossegar e ter filhos?
“Eu realmente quero ter filhos. Eu cresci em torno de um monte de pessoas que estavam tendo filhos, quando eu os conheci, porque muitos deles eram muito mais velhos do que eu. E eu vi a maravilhosa mudança em si. Muito mais cansado, muito mais feliz. Eu vejo que eles lhe dão um senso de propósito que eu realmente só tenho a partir do trabalho. Eu quero isso. E eu gostaria de começar a fazer isso diante de meus trinta anos. Eu gosto da ideia de ser um pai bastante jovem. Então, eu tenho energia para jogar futebol, apesar de que vão ser melhores do que eu no momento em que tiverem quatro anos. Eu gostaria de correr com eles e fazer todos os tipos de coisas com eles que eu não fiz quando eu era jovem.”

Quer ser um pai rígido?
“Eu definitivamente vou ser um daqueles pais que empurra seus filhos nas coisas. Não a indústria cinematográfica! Mas o esporte. Eu amaria que meus filhos fossem boxeadores. Sim! Cricket também. Vou ter que encontrar uma esposa muito alta, se eles estão indo para ser bom em esportes. Você poderia ser do meu tamanho como um boxeador, você apenas tem que ser um peso pesado ou algo assim. “

Não se arrepende de não ter colapsos de estrelas infantis e tatuagens para mostrar as crianças?
“Na verdade, eu estou planejando obter um par de tatuagens. Vai soar muito pretensioso, mas há uma citação de Beckett que eu realmente gosto, que eu vou tatuar em mim. “Tente outra vez, falhar de novo, falhar melhor.” Isso é o que eu sou.”

Fonte:  Time Out London








2011 - 2016   DanielRadcliffe.Com.Br