A YOUNG DOCTOR’S NOTEBOOK: NO SET DE FILMAGEM COM JON HAMM E DANIEL RADCLIFFE / Autor: Barbara Carias

Confira abaixo a descrição da jornalista  em um dia de filmagem com os atores Daniel Radcliffe e Jon Hanm durante as filmagens da segunda temporada de ”A Young Doctor’s Notebook”

Este excêntrico drama sombrio, emparelhando Daniel Radcliffe como um médico viciado em morfina em 1920 na Rússia, e Jon Hamm como seu eu mais velho, era um hit surpresa do ano passado. A segunda temporada, que prometem, será ainda mais surreal.

Em agosto, em um estúdio de cinema sombrio e gélido a sul – oeste de Londres, eu estava apertando os olhos em um pequeno monitor assistindo ao ator Jon Hamm se debruçar sobre o que parecia ser uma mulher morrendo.  Era uma cena silenciosa onde a câmera ficava sobre um perfil com estas características familiares: o queixo quadrado, as grossas sobrancelhas, franzidas, os cabelos penteados para trás, os olhos escuros, fundos, e a decente compostura enigmática.

Mas, quando o diretor anuncia ‘’corta’’, eu viro e vejo sentado a poucos metros de distância de mim Jon Hamm, afundado em uma cadeira, enviando mensagens de texto. O ator na tela vira para a câmera e eu percebo como um começo que eu realmente fui assistir a uma cena com Daniel Radcliffe.

O emparelhamento das duas estrelas principais no drama A Young Doctor’s Notebook da Sky Arts, ano passado foi um dos grandes golpes do Teatro na telinha. Colocando Harry Potter e Mad Men’s Don Draper em conjunto como o mesmo personagem em idades diferentes em uma história ambientada na Rússia pré-revolucionária,  baseado na obra do escritor russo Mikhail Bulgakov – com dependência de morfina e procedimentos médicos gráficos – tem de ser uma das proposições de drama em campo esquerdo, mais recentemente inventadas.

A Young Doctor’s Notebook era uma brincadeira veloz, irreverente e muitas vezes incômoda, como quando Radcliffe luta com operações horríveis, incluindo uma amputação em particular, encharcada de sangue ao se rebaixar ao vício/uso da morfina como um analgésico.

Hamm, por sua vez, foi mostrado tanto em lutas ridículas com seu eu mais jovem, ou no futuro, como um viciado em drogas desesperado que tristemente enfrenta o horror dessas escolhas jovens quando ele as enfrenta na prisão.

Os quatro primeiros episódios comicamente sombrios de meia hora foram os programas de maior sucesso já realizado pela Sky Arts, tanto que o mesmo foi re-negociado para uma segunda temporada – o testemunho de uma idéia insana transformou-se em um golpe de gênio.

E no conjunto do elenco, roteiristas e produtores todos parecem vagamente confusos com seu excêntrico triunfo. Em uma pausa nas filmagens dos enfermeiros, Hamm, com uma xícara de café e a voz rouca diz que mais tarde, ele teria pólipos (tumor pediculado), em sua garganta (isso explica a voz sempre rouca) para os quais ele irá precisar de cirurgia para remoção. Quando eu pergunto se ele está surpreso com um sucesso da série, ele admite, ‘’Sim, um pouco. Quando nos conceberam a primeira temporada era para ser apenas de um ano e acabar. No entanto, constataram a audiência.’’

A Young Doctor’s Notebook nunca foi encarada como uma resenha estimativa para a Sky Arts. A Playhouse Presents deu aos atores e escritores rédeas livres para avançarem com dramas autônomos originais, os quais até agora tem caracterizado os gostos de David Tennant, Will Self, Hayley Atwell e Tom Jones.
A produtora Clelia Mountford que tinha trabalhado com Hamm em 2010, no seriado da 4Channel ‘The Increasingly Poor Decisions of Todd’’ sobre um americano destacado para trabalhar em Londres, e ele se divertiu tanto que ele pediu a Mountford para considerá-lo para quaisquer outros projetos que estivessem chegando. ‘’Ele também mencionou que amava a literatura russa’’, disse ela.

Por sorte Mountford estava lendo o romance autobiográfico de Bulgakov’s ‘’A Country Doctor’s Notebook’’ escrito entre 1924 e 1927, que contava sobre a sua vida após a graduação médica, recém mandando para um hospital de uma pequena aldeia na província de Smolensk na Rússia. Inicialmente publicado como um conto em uma revista médica, o livro tenta descrever o terror de colocar estudos médicos em prática em um local isolado, em sentido retrógrado que leva de detalhes hilários até as angustiantes.

’Eu li o livro e Jon e eu conversamos sobre como poderíamos dramatizar, mas obviamente,  interpretar um jovem de 23 anos seria muito difícil para ele. Mas fazer somente uma narração teria sido muito tedioso ainda. De modo que nós viemos com a ideia de ter um médico mais jovem e um mais velho interagindo ‘’ disse Mountford.

Ela então, contou com a ajuda dos roteiristas Mark Chappell e Shaun Pye – alunos de Todd Margaret – juntamente com Alan Connor, cujos créditos incluem Charlie Brooker Weekly Limpe. Juntos, eles vieram com o conceito de usar um outro conto de Bulgakoy, ‘’ Morphine’’, que é ficcionada ao declínio do autor em dependência de drogas durante seu tempo como médico.

Para os escritores, este deu-lhes a chave para trazer duas versões do médico. Mark Chappel lembra ‘’A Country Doctor’s Notebook’’ é episódica, que se presta a televisão porém faltava a ela um arco narrativo. Então, nós queríamos trazer Jon Hamm de volta para esse mundo do médico mais jovem para que ele possa interagir com ele. Quando você é jovem, você anseia por alguém para dar um tapinha no seu ombro e dizer que vai ficar tudo bem. Mas quando o médico mais velho volta, ele realmente não tem esse efeito tranqüilizador. É assim que a dinâmica começou.

Mountford e Chappell sentiram que o tom surrealista tão central na obra de Bulgakov estava os licenciando para tratar o material de origem de forma criativa.  “Se você se senta para escrever uma comédia, é muito difícil pensar para além de duas ou três pessoas que partilham um apartamento. Mas este livro leva você a um lugar e tempo diferente e permite que você tenha esses tons dissonantes do vício da morfina e morte contra uma comédia baixa o bastante.’’

O que o projeto ainda não tinha, no entanto, um jovem médico. Mais uma vez, o acaso entrou em jogo. Com base em uma breve introdução ao Radcliffe no BAFTA em fevereiro de 2012, Hamm propôs que ele deveria desempenhar seu eu mais jovem. “Eu amo Dan, acho que ele é um ator fenomenal e talentoso“, declara Hamm. Ele reconheceu em Radcliffe uma mania alegre inexplorada. “Dan é um ator cômico maravilhoso. Ele pode fazer essa coisa de falar quando não há ninguém lá, e é hilário”.

O que Hamm não sabia e que virou uma peça audaciosa no elenco, era que Radcliffe também era um fã de Bulgakov (ele passou seu 21 º aniversário indo visitar o museu do autor em Moscou). ‘“Eu li The Master and Margarita quando eu era mais jovem e me tornei obcecado por ele”, diz Radcliffe. “É a maior obra da imaginação que eu já li. “Eu sou ateu, mas esse livro me faz querer acreditar em Deus.”

‘’Contando pelos meus dedos tenho assistido á metade dos episódios do ano passado, e estou voltando para encarar mais sangue no set. Ainda envolvendo outro incidente comico onde Radcliffe atira no próprio pé, estou poupando a visão de sangue.’’

’Os personagens são ainda mais ricamente desenvolvidos’’ diz Radcliffe  ‘’O jovem médico está em um declínio moral íngreme, mas o fundamental é manter o humor.  Prestamos homenagem apropriada para os momentos em que você precisa ser suficientemente escuro ou triste. Mas a psicologia eo comportamento de um viciado é bastante ridícula  e não há muito a ser feito onde o a diversão  é uma insanidade lógica.’’

Eu acompanhei Radcliffe após essa sessão de 4 semanas que envolveu a segunda temporada , dentro dessa corrida, aos seus 24 anos de idade, no West End, em The Cripple de Inishmaan antes de embarcar em uma excursão do remoinho dos festivais de cinema Sundance, Veneza e Toronto promovendo três filmes onde ele está estrelando. Durante a semana os jornais tiveram fotos impressas de Radcliffe com olhos fundos e aparência exausta quando ele ia para fora dos palcos dar autógrafos. Mal sabem eles que ele estava de pé desde as seis da manhã e filmaria durante quase 10 horas a sequência de ‘’The Young Doctor’’ antes de sua aparição no evento de Martin McDonagh. Agora ele parece muito mais vitalizado e saltitante, até parece que enfrentou um leão. “Eu prefiro trabalhar para não trabalhar “, diz ele . ” Crescendo no set de Harry Potter , eu passei uma quantidade incrível de tempo filmando as coisas. Uma das coisas lindas sobre o meu trabalho, pois tem sido o ritmo que eu começo a me mover. Você fica com uma sensação de impulso. Neste iríamos derrubar seis cenas por dia. Há um senso de realização. ”

A Young Doctor’s Notebook utilizou boa parte do país, os escritores foram confrontados com o problema de como manter a narrativa da história. Os escritores, Mark Chappell diz que começou a ver que ainda havia potencial na narrativa. “Uma vez que haviamos chegado a um acordo com o fato de que não havia mais o livro, percebemos que ainda tinhamos quatro anos de guerra civil para brincar.”

Mergulhando em outros contos de Bulgakov, eles introduziram um novo interesse amoroso para o jovem médico, a aristocrática interpretada por Margaret Clunie,  durante a mudança de engrenagem com o personagem de Hamm. “Ele sai de uma clínica de reabilitação brutal e está tentando olhar para o bem em si mesmo.”

Os elementos surreais que temos foram, no mínimo, ampliados com Radcliffe ainda fomos obrigados a recorrer a seu papel em 2011 no musical da Broadway ”How to Succeed in Business Without Really Trying”. O roteiro dizia: “Dan canta em italiano, “ou,” Dan irrompe em uma dança engraçada. “Eu não falo italiano, e a única dança engraçada eu sei eu plagiei de ”How To Succeed”. Eu acho que os escritores tiveram grande prazer em ver o que Jon e eu gostariamos de fazer. Mas eu tenho muita confiança neles. Então, se eles me têm dançando em um traje do palhaço, eu sei que vai ser por razões muito boas.”

”Poderíamos ser irmãos”, diz Hamm. “Eu era muito parecido com Dan quando eu tinha essa idade, muito curioso e um buscador do conhecimento.” Porém, ao contrário de Radcliffe, Hamm, agora com 42 anos, não encontrou o sucesso até seus 30 anos,  ele reconhece que o medo o impediu de ultrapassar suas atuações “É difícil de recusar um trabalho de qualidade, porque para a maioria da minha carreira, não foi assim. Mas o ideal, se você continuar fazendo as coisas de uma forma diferente, as pessoas olham para você de uma maneira diferente e você não ficar rotulado.”

Há claramente, uma grande curiosidade entre os dois homens, desde a bênção e maldição que seus sucessos trouxera. Hamm declara, com uma espécie de proteção, que Radcliffe “é um garoto cuja infância foi raptada por uma franquia multinacional. Assim, o fato de ele ter o desejo de aprender não é apenas prova de seu personagem, mas também de sua educação “

Já Radcliffe é mais generoso sobre o seu papel mais famoso: “Devo tudo a Potter, interpretar um personagem por tanto tempo lhe dá essa energia e desejo de experimentar tantas coisas diferentes quanto for possível. Os filmes que eu fiz no ano passado e ”A Young Doctor”  tem sido grandes saltos para a frente na minha opnião. Acho que estou ficando melhor em saber para o que eu sou bom e o que não sou tão bom assim”, diz ele.

Há também o prazer que Radcliffe tem em manter seus enormes e fervorosos fãs do Potter em áreas mais esotéricas (esta se refere a fãs do ator que o reconhecem pelo trabalho em HP e o visitam no set) “Primeiramente eu estou tentando testar e desafiar a mim mesmo e para ficar melhor, porque isso é o que me excita mais. Mas se eu conseguir que apenas mais uma pessoa leia Bulgakov, ou que esta venha ao vilarejo The Cripple of Inishmaan, que é incrivelmente frio. “

“A Young Doctor’s Notebook” tem sido um projeto de paixão para toda a equipe. “Eu nunca trabalhei em uma situação como esta, onde há diálogo constante entre os escritores e o elenco”, diz Radcliffe. “Nós estávamos sempre compondo coisas novas, e havia uma encantadora atmosfera de colaboração. Hamm descreve o show como encontrar um local doce e criativo. Ele diz que foi um prazer ter uma segunda rachadura no papel. “Eu tive essa experiência em Mad Men, onde quanto mais você voltar a algo, mais você sente e quanto mais fundo você pode explorar as coisas”, diz ele.

Mas para todo o entusiasmo da equipe, as chances de uma terceira temporada parece escassa. Todos pensam falta de material de origem nas histórias de Bulgakov, embora Radcliffe diz com cautela algo que o deixa feliz:  “Bulgakov escreveu muito, mas eu não sei o que faria em seguida. Eu disse isso antes, mas, talvez por isso os escritores vão me enganar de novo.”

Tradução e Adaptação: Barbara Carias

Fonte: The Telegraph

 








2011 - 2016   DanielRadcliffe.Com.Br