BBC entrevista Daniel Radcliffe / Autor: Yolle

A BBC lançou uma entrevista com Daniel Radcliffe online pelo seu website para promover o telefilme ‘Gamechangers

The Gamechangers é o seu primeiro projeto da BBC?

Na verdade, meu primeiro trabalho foi como o jovem David em David Copperfield para a BBC em 1999. Foi ótimo, o elenco era sensacional; Emília Fox, Pauline Quirke, Maggie Smith, Bob Hoskins, Imelda Stauton, Paul Whitehouse, Ian McKellan, Zoe Wanamaker… e a lista continua.

Muitas pessoas que eu trabalhei com em Harry Potter muitos anos depois. Foi um ótimo começo e para muitas pessoas poderia ter sido o melhor elenco com quem trabalhariam. No primeiro dia de gravação, o diretor me disse: “Dan, você nunca vai estar em outro projeto com elenco deste nível.” Eu lembrei a ele disso várias vezes desde então! Ele não teve sorte, porque poderia ter dito isso para qualquer um e ele estaria certo! Maggie (Smith) interpretou a minha tia e ela foi quem me recomendou para Harry Potter inicialmente.

Então isso pode explicar seu motivo de decidir pegar o papel de Sam no The Gamechangers?

Quando eu estava crescendo havia uma divisão maior entre filme e televisão. Agora, isso saiu pela janela completamente, mas mesmo assim, eu sempre acreditei que um bom roteiro é um bom roteiro e eu nunca quis me limitar para um meio por conta de uma sensação equivocada do que eu deveria estar fazendo. É assim que você perde as oportunidades. Especialmente no clima atual no qual é muito difícil fazer filmes.

Owen (o diretor) e eu estávamos dizendo que uma das coisas mais atraentes sobre os Gamechangers, além de que foi um ótimo roteiro e uma chance de fazer algo que realmente amávamos, foi que estava realmente acontecendo. Isso é algo que você não pode dizer para muitos filmes. Os Gamechangers era meio o oposto, já que foi tão rápido que era assustador! Por isso, foi uma mudança do modo usual de pensar sobre fazer um filme em seis meses e começar a preparar. Foi ótimo, estava lá, estava acontecendo e tinha esse roteiro fantástico.

Então você aceitou de prontidão?

Foi uma escolha muito, muito fácil quando chegou. Eu achei o roteiro ótimo e foi muito legal a BBC estar fazendo. Além disso, que é capaz de ganhar um público muito maior do que apenas o Reino Unido, porque o jogo tem uma audiência global. Owen tinha exatamente as mesmas aspirações de autenticidade, por isso tivemos tanta sorte ao conseguir um grande ator americano como Bill Paxton. Ainda não consigo acreditar muito. Bill foi fantástico. Ele é como uma líder de torcida no estúdio. Eu conheço pessoas com a metade da idade dele que estão exaustas e é muito revigorante conhecer alguém que claramente ainda ama estar no estúdio. A minha coisa preferida sobre o Bill… é que ele é o único ator que já foi morto por um Alien, um Exterminador e um Predador! Isso não é uma coisa ótima para se gabar?!

Então muita parte do filme foi gravada na África do Sul?

Foi uma daquelas situações estranhas em que você conta para as pessoas que você está filmando na África do Sul e eles perguntam “Então se passa na África do Sul?”, e você diz “Não, se passa em Nova York” e eles dizem “O quê? Como?!” Tem tantas gravações por lá agora; e uma combinação de disponibilidade e uma equipe técnica ótima. Qualquer filme agora com uma boa sequência de ação parece ter uma Unidade da Cidade do Cabo nos créditos. Você pode fechar grande parte das ruas e é muito mais livre para fazer coisas audaciosas lá.  A equipe foi fantástica e eu estava muito de boa para uma filmagem tão acelerada. Foi muito bom. Nós não conseguimos aproveitar muito da cidade além dos ótimos restaurantes de frutos do mar, mas foi muito divertido e amigável.

O seu personagem teve alguma grande cena de ação?

Eu tive uma cena de ação muito legal em que eu tive que andar no meio da rua. Os carros paravam ao meu lado e então um carro vinha rapidamente na minha direção. Eu tive que ver ele se aproximando cada vez mais perto e confiar que ele ia parar a tempo!!

Não posso dizer muito, já que é a última cena do filme, mas foi um momento estranho, porque eu curti muito. Nós ensaiamos a cena durante o dia e quando fomos filmar mais tarde, eu assumi que fosse o mesmo dublê (os dois eram carecas!), mas depois da tomada, ele pareceu um pouco nervoso, então eu perguntei se ele estava bem e ele disse “Não cara, você pode só não me jogar?”. Então eu percebi que era uma pessoa totalmente diferente que não fazia ideia o que eu ia fazer com ele!

Algum outro momento engraçado?

Alguns. Algumas piadas… Eu tenho 1,65m de altura, então em algumas cenas eu precisei subir numa caixa e isso é algo com que estou muito acostumado. Mas, nesse filme, eu estava na caixa em tantas cenas com Joe Dempsie, que é alguns centímetros mais alto que eu, e a piada foi tipo, todo mundo sabe que sou baixinho, então vão pensar que você é pequeno para esse filme todo!

Você ficou muito amigo do elenco?

É muito bom quando você está atuando com um grupo de amigos e todos chegam no estúdio com a mesma atitude e quer descobrir como conseguir ficar próximo dos relacionamentos do personagem em um curto período de tempo. Nós demos muito certo juntos. Bill, Ian, Joe, Mark e eu.

Algum desafio em particular?

Eu acho que em geral, o quanto tivemos que fazer em pouco tempo foi o principal desafio.  Teve uma semana que filmamos em um escritório e, basicamente, nesse filme, se eu estou em um escritório eu vou estar fazendo um grande monólogo. O grande problema com esse trabalho foi a quantidade de falas para decorar. Como sempre, seu desafio é capturar o personagem e tinham algumas cenas que eram mais intensas que outras, então o esforço que tivemos praquelas cenas foi alto, mas esperamos que dê tudo certo.

Como você abordou o personagem de Sam Houser?

Eu leio muito, embora eu ache que os Housers vão estar satisfeitos como eles são difíceis de pesquisar! Não existem muitas informações sobre eles; tem um vídeo raro de Sam e tem mais um pouco de Dan falando.

Então foquei muito nos dois vídeos que encontrei. Me peguei pensando que não éramos tão diferentes – não em termos de como interagimos com as pessoas, mas de como somos. Eu vi alguém que fala muito rápido, especificamente com muita energia e gesticulação, não muito diferente de mim.

Nós tivemos histórias similares – ele nasceu em uma cidade vizinha, também tem um pai que é ator, e cresceu na indústria de entretenimento. Nossas escolas jogaram uma contra a outra no futebol – isso é o quão próximo estávamos. Em Nova York, nós moramos em lugares parecidos, então desde então quando eu ando por aí imaginando que vou esbarrar nele e penso se eu resistiria a dar um ‘oi’! Estou nesse filme como alguém que amou os jogos e que acha eles muito legais.

Os jogos são uma das maiores exportações culturais do Reino Unido. Como um país, por que você acha que somos tão bons em exportar cultura?

Estamos bem avançados como uma nação e o fato de que estes jogos, que são tão americanos em sua criação mas criados pelo povo britânico, é prova disso. Eu acho que a partir de Shakespeare, para Beatles, The Rolling Stones e Sex Pistols, qualquer número de escritores e cineastas, sempre fomos pioneiros em termos de cultura, arte e poesia. Eu não sei por que, mas estou realmente contente que seja assim. Cultura é a nossa maior contribuição para o mundo e que coisa legal para se contribuir.

A campanha da BBC Make it Digital espera inspirar uma nova geração a ser criativa com códigos. Por que isso é importante para o future?

Porque eu não entendo isso, e por haver muitos outros ‘eus’ por aí, e se a futura população do país é como eu, estamos condenados!! Não seja como eu… Make it digital!!!

O que você assistia na televisão quando mais novo?

Os Simpsons, às seis da tarde na BBC Dois toda noite, e eu gostava muito de Neighbours. The Demon Headmaster, The Queens Nose e todos aqueles ótimos shows da BBC para crianças. E também, é claro, tinha Live and Kicking, que eu participei umas duas vezes na plateia. Acho que o clipe apareceu em um dos episódios de “Antes que serem Famosos”. Eu perguntei exatamente a mesma coisa há três semanas para Andrew Lloyd Webber e os Chuckle Brothers, que foi “O que você faria se não fizesse o que faz?”. Acredito que os Chuckle Brothers disseram “Mineradores”, e até lembro de na hora pensar, isso não é um pouco pesado para um programa de crianças?

Via – Daniel Radcliffe Holland








2011 - 2016   DanielRadcliffe.Com.Br