[Traduzida] Entrevista para o The Telegraph / Autor: Andressa

Daniel Radcliffe sobre alcoolismo, passar fome, Harry Potter, e sobre o dia em que ele se apaixonou

Quando vejo Daniel Radcliffe pela primeira vez, não posso acreditar o quão terrível ele parece: rosto pálido, manchas escuras sob os olhos, barba longa. E tão magro. Pelo menos seis quilos mais leve do que quando nos conhecemos há quatro anos. E ele não era tão grande na época. Torna-se rapidamente óbvio que ele está morrendo de fome mesmo.

Ele me diz que ele está sobrevivendo com uma dieta diária de um peito de frango e uma barra de proteína, impulsionado pelo café e cigarros. Radcliffe foi entrar no personagem para seu papel na selva, um filme adaptado de uma história verdadeira, onde ele interpreta Yossi Ghinsberg, um jovem aventureiro que se perde na selva boliviana.

Ele tem mais algumas cenas em que está magro para filmar, e, em seguida, planeja comemorar com uma barra de chocolate. Não é a primeira vez que ele foi a extremos para um papel. Como Harry Potter, por exemplo, ele passou 41 horas sendo filmado debaixo d’água (em O Cálice de Fogo), sendo que ele não sabia nadar.

Na comédia musical How to Succeed in Business Without Really Trying, encenado na Broadway em 2011, ele apresentou uma série de paradas de mão, cambalhotas e deslizou os joelhos, todos ainda mais surpreendentes pelo fato dele ser dispráxico e não poder dar um passo de dança corretamente. Ele foi submerso em um pântano para o filme The Woman in Black, baseado no romance de Susan Hill.

Ele passou várias semanas testando uma prótese de corcova para seu papel como Igor, o assistente corcunda no filme Victor Frankenstein, e uma vez disse que tinha passado tanto tempo estudando medicina para seu papel como médico de pós-graduação na série de TV A Young Doctor’s Notebook, que ele “provavelmente poderia realizar uma traqueotomia”.

Volta para a Magia

Harry Potter é a segunda maior franquia de filmes de todos os tempos, tendo rendido £5 bilhões em vendas de bilheteria em todo o mundo. Radcliffe tem acrescentado mais a sua fortuna desde então. Estima-se que ele tenha um valor de £74 milhões, significativamente mais do que os seus colegas de elenco Emma Watson (£35 milhões), que interpretou Hermione, e Rupert Grint (£26 milhões), Ron Wesley.

O último filme da franquia foi lançado há quatro anos, mas em uma entrevista esta semana ele disse que não descarta a ideia de interpretar Potter novamente. Em declaração à Radio Times, Radcliffe disse que iria depender do roteiro e das circunstâncias, mas que iria considerar um retorno ao papel.

Radcliffe investiu em imóveis em 2000, e desde então tem visto suas economias aumentarem cerca de £2 milhões só no ano passado (2014-2015). Radcliffe poderia ter se aposentado depois de Potter.

Em vez disso ele fez nove filmes, uma série de TV, apresentou uma peça por 11 meses na Broadway e apareceu na peça The Cripple of Inishmaan, descrita pelos críticos como uma das suas maiores performances, que foi apresentada em ambos os lados do Atlântico.

 

Sobre conseguir seu papel em Harry Potter

“Eu estava no banho na hora, e meu pai apareceu correndo e disse ‘Adivinha quem eles querem que interprete Harry Potter?’ e eu comecei a chorar. Foi provavelmente o melhor dia da minha vida”

Sobre ser Harry Potter

“Eu costumava ser muito crítico sobre a minha altura, mas aí eu pensei ‘dane-se’, eu sou Harry Potter”

Sobre o porquê dele não ir em boates

“Tudo que basta é eu ser visto falando com uma garota que os (tabloides) já inventam uma manchete de como eu sou um pervertido sexual ou qualquer coisa assim”

Sobre ser um cara correto

“Eu acho que tentei roubar um chocolate Mars uma vez, mas eu não consegui e devolvi”

Sobre os fãs na première de Harry Potter

“Algumas pessoas estavam lá há 18 horas, o que é inacreditável! Eu não acho que esperaria 18 horas pra nada, nem mesmo um transplante de órgão que eu precisasse. Diria algo como ‘Ah, tudo bem, não precisa…’”

Sobre fazer a sua própria sorte

“Eu odiaria ser acusado de ganhar na vida apenas pela sorte, acho que você faz seu próprio destino… eu gosto de ser desafiado”

Sobre aprender em quem confiar

“Algumas pessoas já quiseram se aproveitar de mim. Tem umas pessoas por aí que só querem fazer um dinheiro rápido… Eu provavelmente costumava confiar muito nas pessoas”

Sobre Victor Frankenstein

“O que me surpreende no filme é que ele é tão relevante no mundo de hoje e ao mesmo tempo é eterno, o que é como esse estado duplo em que as pessoas vivem, essa combinação de medo e gratidão pela ciência… A ciência pode fazer tão bem, mas pode causar um horrível estrago também”

 

Sua determinação em estender seu alcance para além das façanhas do menino bruxo que o tornou famoso é extraordinária. “Vamos aceitar, eu tinha muito a provar”, diz ele. “Como qualquer um que ficou famoso enquanto jovem, você vai sentir em algum momento que tem que provar que merece a sorte que teve.”

Ele está em LA (ele mora em Nova York e Londres) para divulgar Truque de Mestre 2, a sequência do blockbuster de Hollywood, Truque de Mestre, em que ele estrela como um bilionário prodígio da tecnologia, ao lado de Michael Caine, Mark Ruffalo e Jesse Eisenberg.

Dirigido por Jon M. Chu, o filme reúne os mágicos profissionais conhecidos como os Quatro Cavaleiros, que se apresentam para grandes multidões em Las Vegas, em mais uma aventura, desta vez para expor um empresário corrupto cujo software secretamente rouba dados privados de seus usuários.

Radcliffe está tendo sua foto tirada dentro de uma cabine de madeira emprestada, com vista para um cânion no distrito de Mount Washington ao nordeste da cidade de Los Angeles. Estou imediatamente impressionada por uma mudança nele.

Primeiro beijo e o amor jovem

Aos 26 anos, ele ainda está cheio de entusiasmo juvenil, ainda subestimado (um grande apelo seu é o quanto é determinado a não chamar atenção), vestido  com calças pretas da Levi’s, uma camisa preta e um casaco de capuz que ele pegou em uma sessão de fotos do dia anterior; e ainda amável ao extremo.

Mas ele está menos maníaco do que quando eu entrevistei ele pela última vez, quando ainda estava se adaptando à vida depois de Potter. Ele tem uma namorada e diz que isso fez uma grande diferença. Ele conheceu a atriz americana Erin Darke no set de Kill Your Darlings, do qual interpretou o poeta da geração beat Allen Ginsberg, na primavera de 2012.

“As pessoas sempre dizem ‘Qual é a sensação de ter crescido nas telas?’ E minha resposta tem sempre sido, ‘não foi assim’. Sim, eu cresci em sets de filmagem, mas o meu primeiro beijo, minha primeira namorada, tudo aconteceu muito em particular, fora das câmeras. Mas a cena com Erin quando nos conhecemos é mesmo uma adorável gravação de nós flertando um com o outro, nos apaixonando.”

Além de ser extremamente empolgado, Radcliffe sempre duvidou de si mesmo e foi neurótico, mas ele admite que agora se sente mais confiante. “Sentando-me para os ensaios de The Cripple of Inishmaan, eu pensei, ‘não, eu pertenço aqui’. Fiz uma peça que foi transferida para a Broadway. Eu fiz um musical na Broadway.”

Atores rivais em Hollywood

“Eu não acho que alguém vá questionar minha posição aqui, o que eles provavelmente não faziam de qualquer maneira, mas às vezes o que está na sua cabeça pode valer mais do que o que está realmente acontecendo, infelizmente”. Ele se vê como um “protagonista” e quando eu perguntei quem ele acha que poderia ser sua competição, ele disse Jesse Eisenberg.

“Estamos provavelmente em um monte das mesmas listas, porque somos bastante semelhantes em alguns aspectos, ambos próprios para papéis de protagonistas nerds. Por isso, foi divertido estar no set com ele”.

Em Truque de Mestre 2, Radcliffe interpreta Walter Mabry, filho de um bilionário de seguros desonesto (Michael Caine). O filme demonstra o desejo de Radcliffe para quebrar a tradição, já que ele é ao mesmo tempo um vilão e parte de um elenco.

“Isto vai soar muito mal, mas é ótimo fazer um filme no qual você não é responsável pelo centro das emoções”.

Radcliffe aparece pela primeira vez como uma silhueta contra a janela de um apartamento feito em mármore, com uma pose de estrela do rock, realizando um truque de cartas ao som de Jimi Hendrix.

“Walter é facilmente o personagem mais bem vestido que eu já interpretei. Ele tem uma incrível coleção de chinelos e sapatos, como uns de veludo azul com crânios em cima. E o mais legal é que eles realmente existem. Algumas empresas fazem esses mocassins de ricos escrotos. Quem iria realmente sair por aí usando eles? Mas eles são tão fantásticos para o personagem”.

Magia, acrobacias e “jet skis humanos”

O filme também mostra as habilidades de Radcliffe em jogar cartas de uma mão para outra. Ele teve aulas com Andrei Jikh, especialista em carteado. “Levou 20 segundos para ele me ensinar e eu levei quase três semanas para conseguir fazer”, Radcliffe recorda. E quando ele diz que conseguiu fazer, você pode apostar que ele tentou várias e várias vezes, levando seus amigos a loucura.

Ele foi direto das gravações de “Truque de Mestre 2” para “Swiss Army Man”, um filme independente e de baixo orçamento, em que — o que sugere que Radcliffe não se mexe – ele interpreta um corpo morto flatulento.

Filmado em uma remota ilha, ele apresenta Paul Dano como um náufrago suicida que está preso sozinho até o cadáver aparecer.

Foi necessário para Radcliffe, que fez a maior parte das cenas de ação, ser montado como um jet ski humano e ter um gancho enroscado embaixo de sua garganta. É preciso coragem e certa generosidade para Radcliffe ser uma isca como essa. “Eu acho que é extraordinário, estranhamente bonito” ele diz “um dos melhores filmes que eu já fiz”.

O filme, recentemente foi premiado no Festival de Sundance, dividindo os críticos. Alguns elogiaram sua profundidade e emoção, enquanto outros o condenaram como “maluco” e “infantil”. De qualquer forma, ele diz que se sente contente.

“Eu me sinto muito estável mentalmente, e estou mais confortável com o que me faz feliz. Mais confortável com o fato de que eu sou uma pessoa que ama sair com meus amigos. Ou assistir shows de quiz. Eu estou confortável com coisas sobre mim, na qual, eu costumava pensar ‘Cara, eu realmente sou entediante?’ Eu deveria sair e desperdiçar todo o meu tempo?”.

Longo caminho até a sobriedade

Ele parou de beber um mês após acabar de filmar Harry Potter. Ele começou a correr riscos insanos, ficando bêbado em lugares públicos. Quando nos encontramos da última vez, ele estava limpo fazia 17 meses e contava os benefícios. “É muito bom. Eu raramente penso sobre (álcool)”. Mas ele admite que teve uma recaída uma vez.

“Não posso te dizer que tipo de bêbado eu sou, por que eu não lembro que tipo eu sou. Eu acho que sou provavelmente bom – enquanto estou sóbrio. Mas, então, depois tiveram que me procurar e ultimamente eu não quero me levantar para responder 20 mensagens de textos como ‘Onde você está? Parceiro, você tá legal?‘.”. Ele não teve uma recaída por três anos consecutivos. Eu imagino se os relatos de sua “batalha com o álcool” foram exagerados.

O consumo de álcool, afinal, não é incomum aos vinte e poucos anos. Não, não é normal beber, ele diz, por outro lado ele ainda bebe. Começou como um impulso normal então saiu de controle.

“Eu mudo quando estou bêbado. Eu sou uma dessas pessoas que muda”, ele continua, “Há alguma coisa em qualquer pessoa que bebe, de um jeito que claramente não é boa para ela, alguma coisa que é atraída para o caos”.

Eu pergunto como ele altera seu estado de consciência agora. “Você não consegue realmente fazer isso”, ele responde. “Quero dizer, eu leio. Eu era um leitor voraz na minha adolescência e isso era uma das coisas que a bebida tirou de mim, bizarro, como um efeito colateral. Eu não tinha impulso ou energia para ler nada. Então, eu mudei”.

Ele costumava tirar “quatro épicas horas de caminhada” quando sentia a necessidade de beber, “mas agora é apenas como um botão em sua cabeça”. Agora ele vai na academia e corre. “Como um clichê de alguém que esteja desistindo de algo, eu realmente entro no exercício” ele diz.

“De fato, estes são meus primeiros dois dias que eu não tenho treinado duas vezes ao dia nas últimas duas semanas, então, eu levemente tenho um momento de “Oh, cara” – ele dá um tapa em suas coxas. “Já está tudo indo por água abaixo”.

Primeiros anos, co-estrelas e trabalhandor com o pai

Daniel Radcliffe cresceu em Londres, o único filho de Alan, um agente literário, e Marcia Gresham, uma agente de elenco. Ele foi educado em Redcliffe, Sussex House and City of London School, onde ele atuou em produções escolares.

Ele fez sua estreia nas telas aos 10 anos de idade no filme da BBC, David Copperfield (1999). Ele fez o teste para Harry Potter em junho de 2000; foi confirmado que ele tinha o papel apenas um mês depois. As gravações começaram no dia 29 de setembro, nos Leavesden Studios, perto de Kings Langley, Hertfordshire. Elas acabaram em maio de 2010, quase uma década depois.

Radcliffe sempre foi crítico com sua performance em Harry Potter — particularmente nos primeiros dois filmes: “apenas lendo as falas” — e recebeu reclamações porque ficava bonito de óculos. Mas, ele diz agora, “Eu assisti ao meu teste e umas das coisas que eu irei falar sobre eu mesmo é que há uma quietude ali, que foi boa para o papel”.

Vida após Potter

Ele diz que a coisa mais importante que fez enquanto sua carreira em Harry Potter caminhava para o final, foi aparecer no palco, com 17 anos, em Equus, onde atuou como um garoto problemático, com uma das cenas de nudez mais longas do teatro.

“Se você olhar as entrevistas daquela época, eu estava dizendo ‘ah, tudo bem, que seja,’ mas isso foi absolutamente aterrorizante. Porém eu ouvi muitos diretores dizerem que aquilo fez com que todos parassem para pensar, ‘oh, ele está interessado em fazer outras coisas.’ Você não faz uma peça de teatro como Equus se não quiser ser um ator.”

Ele é muito sortudo quando se trata de seus pais. Eles o ajudaram a negociar fama, “São pessoas incrivelmente centradas”, e contratos.

Seu pai desistiu do emprego para se tornar o gerente de Daniel. “Meu pai está encarregado em desenvolver scripts, encontrá-los e ler coisas para mim, e fazemos isso juntos.”

Construindo um império financeiro

Ele dá os créditos à sua mãe quando se trata da construção de seu império financeiro. Radcliffe é dono de três propriedades em Manhattan: uma casa na cidade que vale £4 milhões, um loft flat de £6 milhões que ele aluga e um flat de £3.5 milhões onde ele fica com a namorada.”Minha mãe é incrível com essas coisas,” diz ele.

“Sozinho, eu não teria feito algo como investir meu dinheiro. Eu não iria conseguir.” Não que ele seja extravagante, sua compra mais cara é o quadro de uma borboleta de Damien Hirst; do contrário, ele compra livros.

E sobre suas co-estrelas na saga Potter, Emma Watson tem uma pasta de contratos como modelo, incluindo a firma de maquiagem Lancôme e marcas de roupa Burberry e Chanel.

Rupert Grint, pelo contrário, abriu um hotel boutique, Rigsby’s Guest House, em Hertford em 2011. Fechou em Janeiro, lucrando apenas £2,000. Eu deduzi que Radcliffe estaria encontrando menos fãs de Harry Potter agora que está mais velho. Porém o que ocorre é o oposto.

“As pessoas que eram da minha idade quando estávamos fazendo os filmes estão agora andando pelas ruas. Não estão mais em casa com seus pais. Eles cresceram e agora estão por aí, então nos encontramos muito mais.”

Ele diz que os fãs de Harry Potter costumam ser ‘doces, respeitosos e legais’. Porém algo vem dos fãs japoneses em particular.

“É como uma agitação de pessoas,” diz ele. “O Japão é tão intenso.” Assim como a América do Sul. Na Cidade do México fãs se juntaram e contrataram uma banda de mariachi para cantar do lado de fora da janela do hotel onde ele estava. Ele também tem alguns malucos.

“Assustador é ver uma foto de uma garrafa de leite, depois outra foto da garrafa na frente de uma porta e então outra foto de uma porta e por fim perceber que é a sua casa. Alguém está na sua casa tirando fotos.” Ele também recebeu uma pedra no correio de “uma família muito religiosa na América. Era para eu batê-la na minha cabeça quando tivesse pensamentos impuros.”

Vida longe das câmeras

Ele diz que ainda compra na Tesco em Londres. “Parece tão triste, mas eu adoro ir ao supermercado, fazer algumas compras. Sinto como se tivesse conquistado algo, como se tivesse sito produtivo.” Não que ele cozinhe, “Eu encomendo. Bastante.” Ele também gosta de comer fora. “Vou em restaurantes. Vou para o pub, um pouco, mas depois já estou ‘OK, se todos vocês vão ficar aqui e ficarão bêbados então já estou indo, porque eu não posso fazer isso.”

Tardiamente ele se pegou pensando na ideia de ter um assistente, “eu costumava olhar os créditos dos filmes e ver assistentes pessoais para o designer pessoal, então eu penso, ‘por que você precisa disso?'”, atualmente ele viaja com um assistente, Spencer, seu professor de dança em How to Succeed in Business, e nos últimos sete anos contratou um segurança chamado Sam.

“Se eu não tivesse esses caras ao meu lado eu não teria essa continuidade de pessoas na minha vida e iria parecer como uma desfile interminável de quartos de hotel e seria bem solitário, mas temos essa família viajante, e é muito bom.”

Planos para o futuro incluem dirigir um filme, de preferência sua própria criação, e “continuar atuando”. Assim que ele terminou de gravar Jungle ele foi para a cidade de Nova York para atuar na peça Privacy. Inspirada na National Scurity Agency de Edward Snowden, Privacy, que originalmente foi estreada no Donmar Warehouse em 2014, explora as pegadas digitais que deixamos online. “Harry Potter, de alguma forma, sempre irá me definir,” diz ele, “mas espero que da mesma maneira que Harrison Ford é definido por Star Wars.”

Entrevista por Sally Williams
Publicada em The Telegraph em 01 de Julho

Tradução e Adaptação: May, Andressa e Gustavo

2~35.jpg 1111.jpg 1111_28229.jpg 1111_28329.jpg

Scans > 2016 > The Telegraph (Julho)

Photoshoots > 2016 > The Telegraph (Julho)








2011 - 2016   DanielRadcliffe.Com.Br