[TRADUÇÃO] Daniel Radcliffe continua sua transformação pós-Potter em Jungle / Autor: Nuara Costa

O ABC News também entrevistou Daniel sobre seu novo projeto. Nessa entrevista, ele conversa sobre o que o atraiu ao projeto e Yossi Ghinsberg – que ele interpreta no filme – o elogia pela dedicação com que ele abraçou o projeto, mesmo ele não precisando realmente disso. Abaixo confira a tradução completa feita por nossa equipe:

 

Daniel Radcliffe continua sua transformação pós Harry Potter com novo papel em ‘Jungle’.

Daniel Radcliffe, aparentemente, está orgulhoso por perder sua imagem de menino bruxo.

Quando um repórter sugeriu que seu novo filme “Jungle” não é nada parecido com Harry Potter, ele respondeu: “Obrigado. ”

É um buraco em como o ator, famoso pelo personagem icônico de J.K. Rowling, pensa sobre suas escolhas de filmes.

Desde que o final de Harry Potter e as Relíquias da Morte – Parte 2 lançou em 2011, o ator britânico simplesmente evitou papéis que pudessem oferecer uma simples comparação.

Ele interpretou um estudante de medicina que se apaixona por sua melhor amiga em “Será Que? ”. Ele interpretou um homem que devido a suas recém descobertas habilidades paranormais tenta descobrir o assassino de sua namorada em “Amaldiçoado”. Em “A mulher de preto” ele interpretou um advogado viúvo que procura por respostas, e vimos o ator assumir o papel do poeta Allen Ginsberg em “Versos de um Crime”.

Agora em “Jungle”, Radcliffe está interpretando outro papel de vida real – do aventureiro israelita Yossi Ghinsberg.

“É uma história real” disse o ator para a ABC News. “Yossi Ghinsberg, que foi para a América do Sul, como muitas pessoas fazem para viajar e ter uma aventura, se encontrou entrando fundo da mata quando alguém apresentou-o a oportunidade.

Radcliffe disse ainda que seu personagem, eventualmente, viajou para dentro da Amazônia apenas para se separar de seus amigos “e ter que sobreviver por sua conta por três semanas. ”

O ator disse que estava atraído pela história de Ghinsberg após ler o roteiro da memória do aventureiro de 2005 com o mesmo nome.

“É tão difícil gostar de uma pessoa que vai sobreviver e é tão difícil fazer uma pessoa desistir em sua vida” disse Radcliffe.

É difícil dizer se Radcliffe está referindo-se a si mesmo ou não.

O ator admitiu, entretanto, que em sua vida pós Potter ele teve que “se imaginar começando de novo” ou “começando do zero”.

“Alguns diretores me evitaram. Outros estavam intrigados pela oportunidade apresentada” Radcliffe continuou. “Eu acho que eu fui muito sortudo e que as pessoas me deram oportunidades muito interessantes para fazer um trabalho diferente. ”

Radcliffe sofreu uma perda de peso drástica para gravar como Ghinsberg, frequentemente comendo peixe branco como almoço, que ele misturou com molho quente para dar um pouco de sabor, e uma barra de proteína como jantar. Entre as refeições, ele tratou se com café com leite “e muito adoçante”, disse ele.

Fora das câmeras, Radcliffe se manteve ocupado. Depois de encontrar-se com Ghinsberg, ele teve que ouvir a mesma música que o aventureiro ouviu e ler os mesmos livros que Ghinsberg leu durante aquele terrível período. Radcliffe trabalhou em aperfeiçoar o sotaque de Ghinsberg, que é uma mistura de israelita com um pouco de romeno.

“Ele pode parecer pequeno, mas ele não é” disse Ghinsberg para ABC News sobre o ator interpretar a ele na tela. “Ele é um grande homem. Um grande homem mesmo.”

Ghinsberg, de 58 anos, disse que ficou encantado pela dedicação de Radcliffe em fazer sua história o mais real possível.

“Ele leva seu trabalho muito, muito seriamente, e ele trabalha duro, mesmo não precisando” disse Ghinsberg. “Ele faz isso por paixão. Ele faz isso por arte. As coisas que ele fez para se tornar Yossi… é lisonjeiro que alguém passou por todo esse problema.

Em uma cena em particular que é difícil de assistir, Radcliffe usa uma faca para tirar um parasita de sua cabeça.

Ghinsberg disse que, realmente, ele achou 14 parasitas em sua cabeça durante sua viagem na floresta Boliviana. O diretor Greg McLean, naturalmente, usou alguma licença criativa no filme.

“É uma dor excruciante, mas era mais dolorido ter eles dentro, porque eles comem você debaixo da sua pele” Ghinsberg lembrou. “Inicialmente eu não sabia o que era até eu achar o primeiro. ”

Foi essa força que atraiu Radcliffe para o projeto na esperança de inspirar os outros que devem estar lidando com seus parasitas próprios – literalmente ou figurativamente.

“Pessoas de todos os lugares estão sobrevivendo todos os dias. Esse filme é um exemplo de quão longe você pode ir” disse Radcliffe.

 

Tradução: Gustavo Borella








2011 - 2016   DanielRadcliffe.Com.Br