[TRADUÇÃO] Daniel Radcliffe perdeu 6 quilos e quase se afogou, porém gostou de gravar ‘Jungle’ / Autor: Nuara Costa

O MarketWatch entrevistou Daniel para divulgação de Jungle, seu novo filme baseado em fatos reais da vida de Yossi Ghinsberg, que se aventurou na floresta amazônica e se perdeu por três semanas. Na entrevista, Daniel fala sobre perder peso para o papel, se aventurar a filmar na floresta e espiritualidade.
Nenhum feitiço, capa ou criatura mágica poderia salvar o ator Daniel Radcliffe em seu novo filme.
Para interpretar um aventureiro Israelense que sobreviveu na floresta amazônica, Radcliffe quase se afogou, passou fome, e aturou cobras e minhocas rastejando ao seu redor.
Em “Jungle,” Radcliffe atua como uma pessoa existente – Yossi Ghinsberg – que saiu para se aventurar na floresta Amazônica da Bolívia em 1981 com dois amigos e um guia – se separando deles e tendo que se virar na selva. Ghinsberg escreveu um livro sobre sua experiência angustiante de três semanas, que foi adaptado para as telas por Justin Monjo e dirigido por Greg McLean (“Wolf Creek”).
Radcliffe, 28, que interpretou o Harry Potter na saga entre 2001 e 2011, tinha noção dos desafios que enfrentaria para as gravações de seu último filme. “Nunca pensei que seria fácil, e não deveria ser se você quer gravar de maneira justa,” disse ele. “Aceitei o papel sabendo que seria físicamente difícil do que já foi.”
A fome de Radcliffe
Para começar, Radcliffe perdeu por volta de 6 quilos durante as gravações, que foram na floresta da Colômbia e na Costa do Ouro na Austrália. Já que seu personagem sobrevive de fétus de pássaros e frutas, e se torna cada vez mais fraco, Radcliffe tentou recriar essa demonstração física e a sensação de fome.
“Meu trabalho seria mais difícil se eu fosse para casa todas as noites e comesse um bife enorme me sentindo confortável,” diz ele. “Tirar aquele cansaço que adentra seus ossos e deixa suas pernas pesadas, foi muito útil apenas comer menos.”
Ele passou a maioria das manhãs apenas com café – três ou quatro xícaras antes do almoço – e durante as duas últimas semanas de gravação, ele comia apenas uma refeição por dia: um filé de peixe ou peito de frango e uma barra de proteína. Para os dois últimos dias de gravação que se tratavam de uma cena de suspense, Radcliffe parou de comer.
“Aprendi que se alguém estiver em uma situação em que pode comer apenas um filé de peixe por dia, apenas coloque muito molho picante,” disse. “Temperos são seus amigos. Eu estava tipo, ‘não posso comer muita comida, mas posso usar quanta mostarda eu quiser!'”
Corrida no Rio
Em uma das primeiras cenas do filme, seu personagem, Yossi, quase se afoga nas corredeiras. A câmera prende a audiência nele enquanto ele gira embaixo d’água, lutando contra a correnteza. Essa cena pareceu se misturar com a realidade, porque Radcliffe poderia ter se machucado sériamente durante a cena complicada.
“Eram 16 funcionários parados nas rochas ao longo do rio, cada um amarrado a uma linha de segurança, formando uma ‘teia feita de linhas de segurança ao longo do chão desse espaço pequeno,” disse o ator. Eles filmaram a cena por dois dias, gritando entre si por cima do rio. “Foram muito, muito intensas e exigentes,” ele disse, adicionando o fato de que até o rio era uma caminhada de 2,5 quilômetros pela selva todas as manhãs.
Coração de Escuridão
Outras vezes durante as filmagens, ou durante os momentos em que se afogou, Radcliffe – que não se considera uma pessoa que goste do ar livre – se viu cara a cara com criaturas como “besouros estranhos e coloridos” e cobras venenosas. Mas essa imersão, junto ao calor e a chuva (feita por máquinas), deu a ele uma apreciação da relação de Yossi com a selva.
“[Yossi] disse que quando ele estava lá, lutou contra a natureza durante a primeira semana e a via como uma inimiga que estava tentando detê-lo,” disse Radcliffe. “Ele descreve que assim que se permite sentir como parte desse organismo natural ao seu redor, ele encontrou não apenas sucesso na sobrevivência como também gostou da experiência.”
“Sim, houveram momentos de desespero, angústia e dor, mas houveram também os momentos mais proveitosos e serenes que ele teve surante toda sua vida em apenas 3 semanas,” adiciona Radcliffe.
Pelo amor aos Livros
Em “Jungle,” Yossi carrega um livro religioso que lhe foi dado por seu tio, que estudou Kabbalah e acreditou no poder protetor do livro. Radcliffe diz que não se considera uma pessoa espiritual, mas que considera a vontade de viver de Yossi algo espiritual. “Tem uma qualidade na humanidade, evidenciada por essa história, que é muito difícil fazer alguém desistir da própria vida,” ele disse. Ter livros por perto faz com que eu sinta como se voltasse a ser eu mesmo.”
Radcliffe lê apenas livros físicos, não os eletrônicos. Até mesmo os scripts para novos filmes, ele tem que ler nas páginas, caso contrário ele não aprenderá suas falas rapidamente. “Você não pega a informação da mesma maneira,” ele disse.
‘Miracle Workers’
Foi seu amor por livros que o levou até seu próximo projeto, uma série de TV da TBS chamada “Miracle Workers” que foi adaptada do romance de Simon Rich, “What in God’s Name.” O programa será gravado mais tarde este ano e Radcliffe irá interpretar um anjo mal-pago na Heaven Inc. no departamento dos Milagres, que faz um acordo com seu chefe, Deus, para salvar o planeta Terra. O criador do “Saturday Night Live” Lorne Michaels está produzindo a série.
“Simon Rich é um escritor o qual tenho sido grande fã há anos,” diz o ator. “Quando tive a oportunidade de conversar com esse sobre esse livro, apenas disse, “Se você algum dia tornar isto alguma coisa, por favor me deixe saber. Farei o chá no set, não ligo, Só quero estar envolvido.”
O ator, filho do ex-agente literário Alan Radcliffe, diz que o que o deixa interessado é uma boa escrita. “A chance de me envolver em um trabalho com Simon e sua equipe de escritores fantásticos, por poucos anos, foi muito animador.”
Tradução: Andressa Fernandes







2011 - 2016   DanielRadcliffe.Com.Br