Daniel Radcliffe está na capa da edição de verão 2017 da revista GQ Style brasileira. A revista traz um novo photoshoot e uma entrevista exclusiva, na qual Daniel fala sobre Harry Potter, Swiss Army Man, Imperium, sua carreira, seu estilo e como lida com seu dinheiro. Leia abaixo:

Esta poderia ser a clássica história do ator mirim que se embriaga com a fama precoce e, quando adulto, cai na obscuridade e faz qualquer coisa para estar de volta aos holofotes, mesmo que isso signifique se envolver em escândalos. Mas as coisas fugiram um pouco do roteiro com Daniel Radcliffe.

O astro de Harry Potter conseguiu sobreviverr praticamente ileso a ter sido o protagonista de uma das mais bem-sucedidas franquias do cinema, a ter seu rosto estampado mundialmente em livros, roupas e brinquedos, e a ter acumulado uma fortuna que o coloca entre os atores mais ricos de Hollywood – a maioria, homens com pelo menos 15 anos a mais do que ele.

E não é só isso: Radcliffe parece ser um cara absolutamente normal. Basta ver como o encontramos para esta entrevista, no descolado Soho Hotel, no centro de Londres, onde promovia seus mais recentes filmes, Imperium e Swiss Army Man (ainda sem títulos em português). De jeans e camiseta cinzas, botas pretas de bico fino, cabelos ligeiramente despenteados e barba por fazer, ele recebe a GQ Style com um sorriso, a oferta de um chá e muito entusiasmo. Não usa relógio. Não exibe um celular de última geração. Não pede que sua assessora fique em um canto para acompanhar a conversa e interrompê-la, caso ele acabe revelando mais do que devia.

Nem é preciso. Aos 27 anos – mais de 16 deles passados diante das câmeras -, Radcliffe não tem medo de perguntas e sabe muito bem dar seu recado. O principal é que Harry Potter é uma parte importante de seu passado, mas o que ele quer agora é curtir o presente. “Todo mundo me pergunta se estou tentando me distanciar de Potter intencionalmente. Acho que, como ator, é natural querer fazer algo totalmente diferente”, conta. “Minha inspiração são atores como Gary Oldman e Imelda Staunton (Sirius Black e Dolores Umbridge, na saga), que tiveram carreiras imprevisíveis e que são fantásticos justamente porque conseguiram fazer de tudo e mostrar sua versatilidade.”

E nada pode ser mais diferente do menino-bruxo do que Manny, o personagem de Radcliffe no ligeiramente surrealista Swiss Army Man, escrito e dirigido por Daniel Kwan e Daniel Schneirt: um homem morto que é levado pelas ondas a uma praia deserta e que é carregado para todo lado pelo solitário e perdido Hank, vivido pelo ator Paul Dano. Em determinado momento, Manny passa a falar e a se expressar com reações “constrangedoras” de seu corpo, como ereções ou flatulência. “Recebo muitos roteiros, mas a maioria não me mostra nada novo. Com Swiss Army Man, a criatividade saltava aos olhos. Na hora, percebi que era algo do qual eu queria fazer parte. E o resultado é um filme muito divertido e, ao mesmo tempo, incrivelmente bonito”, diz o ator.

Já em Imperium, escrito e dirigido por Daniel (outro!) Ragussis, ele encarna um introvertido geek do FBI que é destacado para se infiltrar em uma rede de neonazistas americanos. “É um thriller tenso e cheio de reviravoltas. Interessei-me em fazê-lo por meu personagem não resolver tudo na base do tiro, mas com inteligência”, descreve.

Os dois filmes percorrem o circuito de festivais de cinema independente ao redor do mundo e tiveram curta exibição nos Estados Unidos e na Europa, sinal claro de que o sucesso nas bilheterias não é uma prioridade para Radcliffe. “Eu tive a incrível sorte de começar minha carreira com algo grandioso como Harry Potter. Hoje, estou em uma posição privilegiada para atores da minha idade, porque não preciso trabalhar por dinheiro”, explica. “E, enquanto isso durar, quero encontrar os projetos mais diferentes possíveis e criar um conjunto interessante de obras.”

Se depender do quanto entra e do quando sai de sua conta bancária, o ator deve continuar nessa trajetória que mistura blockbusters, produções de baixo orçamento, peças na Broadway e aparições em seriados de TV. A revista Forbes calcula seu patrimônio em cerca de US$ 110 milhões. A fortuna é gerenciada por uma empresa aberta pelos pais de Radcliffe, o agente literário Alan e a diretora de elenco Marcia. Seus maiores gastos até hoje foram apartamentos em Londres, onde nasceu e cresceu, e em Nova York, cidade que adotou há alguns anos.

Novamente fugindo do roteiro tradicional da fama, o ator não só não tem carros como aprendeu a dirigir apenas recentemente. “Só tirei minha carteira para poder dirigir no set, senão as seguradoras se recusavam a cobrir qualquer acidente”, revela. “Nunca me interessei por carros. E sou prático: é impossível dirigir e estacionar em Londres e Nova York, então faço tudo a pé, de táxi ou com um amigo que é motorista.”

Radcliffe, no entanto, não esconde a admiração pelas escolhas do colega Rupert Grint, o ruivo Ron Weasley de Harry Potter: “Uma das primeiras coisas que ele comprou com o salário do filme foi uma caminhonete Chevrolet dos anos 50, que tem uma buzina ridícula que parece o canto do Pica-Pau [personagem do desenho animdo]. Depois, veio um caminhão de sorvete. Para mim, isso é que é uma coleção bacana”.

O ator também é prático na hora de se vestir. Confessa que gosta e se produzir para o tapete vermelho e fica lisonjeado quando vê seu nome frequentemente nas listas dos mais elegantes. Mas conta que, se pudesse, passaria o tempo todo de jeans e camiseta. “Minha maior preocupação é me sentir confortável com o que eu visto”, explica. “Quanto mais à vontade estou, mais consigo ser eu mesmo.” Entre suas marcas preferidas estão Topman, The Kooples, John Varvatos, Club Monaco e Asos.

Radcliffe é econômico até na hora do lazer. Uma vez por ano, tira férias em alguma praia ao lado da namorada, a atriz americana Erin Darke, com quem está desde 2012, quando filmaram juntos Versos de um Crime. “Neste ano, passamos duas semanas na Grécia. No ano passado, em Antígua, no Caribe. Acho que meu maior gasto é com viagens entre Nova York e Londres ou Los Angeles, sempre por causa do meu trabalho”, conta.

Outra das “extravagâncias” favoritas do ator é comprar camarotes para assistir a partidas de futebol americano com os amigos, muitos deles conquistados na época de Harry Potter, como o próprio Grint, Emma Watson e seu dublê nas cenas perigosas, David Holmes. São esses poucos privilegiados que podem segui-lo e sua conta segreta no Instagram, a única que ele mantém nas redes sociais. “Não tenho Twitter nem Facebook porque acho que iria facilmente sair brigando. Tenho muitas opiniões sobre tudo, sou muito impulsivo e acabaria respondendo aos ataques que são tão comuns nessas mídias”, admite.

Por tudo isso, Radcliffe está longe de ser um prato cheio para os paparazzi. “Não me meto em brigas. Não fico bêbado. O pior que pode acontecer é eles me flagrarem fumando”, confessa. “O assédio da imprensa e o fato de saber que há pessoas que eu não conheço falando de mim são coisas muito massacrantes. Não conseguiria lidar com isso constantemente.”

À sua maneira, o ator é um típico representante dos millennials, ou geração Y, como ficou conhecido o pessoal que, como ele, está hoje entre os 20 e 30 e poucos anos: mais ligado em viver experiências do que em comprar desenfreadamente, preocupado com o meio ambiente e com o consumo ético, e interessado em trabalhos que tragam mais prazer do que dinheiro. “Acho que isso é resultado de como o mundo está louco e assustador hoje em dia e do fato de termos crescido em meio a uma economia em crise. É como se todos nós disséssemos: ‘Sabe o quê? Só preciso de bons amigos e de bons momentos para ser feliz.’ Acho isso ótimo. Melhor curtir agora do que se preocupar com o futuro”, decreta.

1_28129~1.png 1_28229~127.jpg 1_28329~109.jpg 1~107.jpg 2~50.jpg

[Scans]

1~109.jpg 2~52.jpg 3~21.jpg 4~18.jpg 5~0.png

[Photoshoot]


Woody Harrelson, que trabalhou com Daniel em Truque de Mestre: O Segundo Ato, está com um novo projeto ambicioso. No dia 19 de Janeiro, ele pretende exibir em alguns cinemas, um filme que estará sendo filmado ao vivo. O nome do projeto é “Lost in London: Live” e como uma forma de divulgação do filme, diversos atores amigos de Woody estão mandando mensagens de vídeo o dizendo que o projeto não dará certo.

No vídeo enviado por Daniel Radcliffe, ele fala que não será negativo, que há chances de dar certo, mas que também há chances de qualquer coisa dar errado, como o Woody ser atingido por um carro no momento do vídeo. Por fim, ele deseja sorte pro amigo e que as coisas deem certo, ou não.

 


Daniel Radcliffe foi fotografado hoje (13/12) em Savannah, na Georgia, enquanto fazia uma pausa nas filmagens de Beast Of Burden. Confira as fotos em nossa galeria:

1~108.jpg 2~51.jpg 3~20.jpg 4~17.jpg 6~10.jpg

[Em Savannah, Georgia (13.12)]


No dia 11 de Dezembro, Daniel Radcliffe foi fotografado ao lado do seu segurança enquanto ia para a academia. Estas foram as primeiras fotos tiradas dele em Savannah, na Georgia, onde está filmando Beast of Burden.

 01~29.jpg 02~29.jpg 03~25.jpg 04~23.jpg 05~16.jpg

[Indo para a academia em Savannah, Georgia (11.12)]


Daniel Radcliffe esteve presente no Festival de Cinema de Zurique para divulgar o seu filme Swiss Army Man. Confira algumas das perguntas que foram feitas pelo site alemão, GAY.CH.

GAY.CH: No filme, os dois rapazes se beijam. Tenho a impressão de que eles acabaram se apaixonando um pelo outro.

Sim, totalmente.

Eu acho que tem uma mensagem por trás disso, “amor é amor”.

Sim, é sobre amor, mas eu não acredito que se limite, especificamente, a um amor hétero ou homossexual. Eu acho que é sobre o amor em geral. Eu adoro o fato de que em um filme, dois homens – apesar de o meu personagem ser um cadáver supostamente héteros, se beijam, de uma forma romântica, embaixo d’água! Na verdade, eles já quase haviam se beijado antes. É uma cena bonita, quando Paul mergulha na água e quer me beijar novamente, quer me proporcionar esse experiência antes que eu morra (novamente). Então, de repente, ele acaba descobrindo que pode me usar como um tanque de oxigênio. Isso é brilhante! Você está certo, o amor é sempre amor.

Você filmou essa cena dentro do mar, assim como no filme?

Não, felizmente não. Ela foi gravada dentro de uma piscina no estado da Califórnia. Quando estávamos indo para o set de gravações, passamos por essa casa de campo gigantesca e ficamos impressionados. Então, de repente, estávamos diante dessa enorme piscina completamente tecnológica, na qual você pode ajustar o peso da superfície. Ficamos felizes de gravarmos lá. As cenas dentro d’água sempre demandam muito e são, sobretudo, lentas. Foi tão bom termos a oportunidade de usar uma piscina aquecida ao invés da água fria do mar.

O final do filme deixa muitas brechas, será que podemos esperar por uma continuação?

Ah, eu gostaria disso. Eu interpretaria o Manny mais uma vez, se os diretores, Daniel Kwan e Daniel Scheinert, decidirem fazer uma continuação daqui alguns anos, até mesmo como uma versão mais velha do Manny.

Fonte: GAY.CH


Durante a participação do Daniel no Zurich Film Festival – onde esteve apresentando Swiss Army Man e Imperium, a ONG Stiftung Kinderhilfe Sternschnuppe proporcionou o encontro de uma fã, Havva, com o ator.

01~28.jpg 02~28.jpg 03~24.jpg 04~22.jpg 05~15.jpg

O propósito da Fundação é trazer alegria e mudar as vidas de crianças e adolescentes, até os 18 anos de idade, que sofrem enfermidades que colocam em risco suas vida.


O fotógrafo Robert Wunsch e o estilista Michael Efford divulgaram duas fotos do photoshoot do Daniel para a revista holandesa L’Officiel Hommes. A foto divulgada por Michael é a foto que foi usada em uma das capas da edição de inverno da revista. Wunsch também divulgou um vídeo do photoshoot, veja abaixo:

1_28529~108.jpg 2_28329~24.jpg 1_28529~108.jpg 2_28329~24.jpg 1_28529~108.jpg

[L’Officiel Hommes NLL’Officiel Hommes NL (Inverno)]

 


Daniel está em uma das capas da revista holandesa L’Officiel Hommes, que estará nas bancas do país a partir de 25 de Outubro. A edição também conta com outras três capas com Sam Claflin, Raff Law e Paul Pogba. Confira abaixo as primeiras fotos liberadas e um vídeo dos bastidores:

1~104.jpg 2~46.jpg1~104.jpg 2~46.jpg 1~104.jpg

[L’Officiel Hommes NL (Inverno)L’Officiel Hommes NL]

Infelizmente, a entrevista ainda não foi divulgada, mas assim que estiver online iremos postá-la traduzida aqui no site.


O ator de Swiss Army Man, Daniel Radcliffe, conseguiu o papel principal no filme Beast of Burden, como um traficante de drogas. O filme que, atualmente, está em pré-produção, terá a direção do sueco Jesper Ganslandt, com roteiro escrito por Adam Hoelzel.

O filme focará na vida de Sean Haggerty (Radcliffe), um personagem que está acostumado a mentir e a esconder segredos de todos, inclusive dos agentes federais, do cartel e até mesmo da sua esposa, Julie. Mas, agora, ele está pronto para sair do seu negócio ilegal — após terminar de atravessar 25kg de cocaína pela fronteira dos Estados Unidos, em um avião pequeno. Desde que consiga sobreviver ao pouso, é claro.

Radcliffe pode até ser melhor reconhecido como O Menino que Sobreviveu na franquia Harry Potter, mas ele conseguiu acumular alguns interessantes e consistentes papéis, desde então, apareceu em produções da Broadway (Equus, How to Succeed in Show Business Without Really Trying) e em filmes como Versos de um Crime, Amaldiçoado e o sucesso de críticas desse ano, Swiss Army Man, no qual ele interpreta um cadáver.

Tem sido divertido assistir à sua carreira se desdobrar de forma tão inesperada e gratificante, desde o início. Ele, recentemente, estreou o filme Imperium, lançado em agosto, no qual deu vida a um agente do FBI que, devido à uma investigação, se infiltra em um grupo neonazista.

Gaslandt dirigiu, principalmente, filmes suecos, como Blondie, lançado em 2012, e Apan, lançado em 2009. Ele também irá dirigir o filme Vacation, baseado em um roteiro de sua autoria.

Antes desse projeto, Hoelzel tinha trabalhado apenas em curtas, como Amelia’s Canon, no qual ele também assumiu o papel de diretor. Atualmente, ele está escrevendo o roteiro do filme By the Rivers of Babylon.

Fonte: Tracking Board


Através de sua conta do Google+, Daniel Radcliffe anunciou que está sendo produtor executivo de um documentário. Confira a tradução abaixo:

Eu tenho a honra de ser o produtor executivo de um documentário brilhante feito pelo meu amigo, Lorenzo Pisoni que trabalhou comigo quando Equus estava na Broadway. Ele é um ator e cineasta extremamente talentoso, e tem sido um imenso prazer ser capaz de apoiá-lo em sua jornada para trazer sua visão para as telas.

Em todo caso, [o documentário] será exibido no DOC:NYC em Novembro! Então, se você vai estar em New York em 15 ou 17 de Novembro e gostaria de ver um documentário incrível sobre pais, filhos e circos, você pode obter seu ingresso nesse site: http://www.docnyc.net/film/circus-kid/

E se você quer saber mais sobre o filme e ver o trailer, você pode ir em circuskidmovie.com/thefilm

Espero que você tenha a chance de ver!
Dan X






2011 - 2016   DanielRadcliffe.Com.Br