Daniel entrevista Helena Bonham Carter para a Interview Magazine / Autor: Andressa


Tradução por: Beatriz Antunes e Larissa Henriques

Equipe Daniel Radcliffe Brasil

Daniel Radcliffe: Você tem uma família de sucesso.

Helena Bonham Carter: Você acha?

Daniel: Bom, você é descendente de um Primeiro Ministro, vários políticos e um diretor muito influente. Seu avô materno foi um diplomata espanhol e ganhou o prêmio Righteous Among the Nations alguns anos atrás, o que é maravilhoso. E sua mãe é uma psicoterapeuta.

Helena: Uau, você sabe mais que eu!

Daniel: Mas como essa intelectualidade te ajudou a se lançar? Porque você começou bem jovem.

Helena: Não tem nada a ver com de onde eu vim, já que mamãe e papai nunca colocaram pressão em nenhum de nós. Não havia nenhuma expectativa, o que era ótimo. Mas eu era muito crítica, e graças a Deus eu parei lentamente de ser assim com o passar do tempo.

Daniel: Você conseguiu? Isso vai ser lento?

Helena: Ah sim. Não se preocupe. Isso melhora quando você ficar mais velho.

Daniel: Oh, graças a Deus.

Helena: Eu acho que isso te desgasta fisicamente, mas mentalmente é muito mais fácil.

Daniel: Eu sinto um grande complexo de inferioridade quando piso numa sala com atores porque eu nunca treinei, e você também não.

Helena: Oh, eu tinha um grande complexo de inferioridade até ontem.

Daniel: Mas não hoje!

Helena: Todos tem complexo de inferioridade quando eles entram numa sala. Mas quando você tem filhos e fica mais velho, não importa mais. Quando eu era mais nova eu tinha tantos problemas com inferioridade. Eu tinha um porque não fui para a universidade, tinha um porque não fui treinada. Mas isso fica cansativo e você se enjoa disso.

Daniel: Certo. E esse enjoo e o que te leva a mandar tudo se f*der.

Helena: ”Que se f*da” é a minha filosofia de vida.

Daniel: Eu acho que as pessoas veem sua carreira como duas metades, uma na qual você era ingenua. E há essa percepção de que após conhecer o Tim Burton, você se transformou em estranha. Mas eu sei que você sempre foi estranha.

Helena: Eu sempre fui esquisita. Só que você não pode esperar que as pessoas te entendam desde o início. E eu acho que isso realmente mexeu com a minha cabeça, sendo muito conhecida desde jovem, quando você ainda não tem certeza de quem é. Isso é como eu era ridícula: Eu lia perfis escritos sobre mim e me perguntava se aquela era realmente quem eu era. Você não pode deixar nas mãos de uma pessoa que você acabou de conhecer sua auto definição.

Daniel: Tipo de personagem é uma ”palavra” estranha (Typecast, em inglês, é Tipo de personagem, portanto, é uma palavra). Os personagens não são os mesmos sempre. É muito fácil dizer que uma pessoa tem um tipo de personagem.

Helena: Todos esses dramas fixados em você. Mas o que era muito interessante sobre esses personagens era que eles eram de grandes livros. Eles me ofereceram muito mais caracterizações súbitas. Eu lembro que meu agente disse: ”Você não pode fazer Angels Fear To Tread e Howard’s End” e eu disse ”Porque não? Me mostre um roteiro melhor”

Daniel: Seu personagem em Harry Potter, Bellatrix Lestrange, é um dos personagens mais assustadores. Mas eu acho justo dizer que ela é muito ”atuável” e muito sexy também.

Helena: Quando eles me mandaram o roteiro, eu pensei ”O que eu vou fazer?”. Porque, nas páginas, ela não estava totalmente lá, e você tem que se fazer notar. E as crianças tinham medo de Bellatrix. Então eu pensei, ok, tenho que ser realmente assustadora. Mas, é claro, que com crianças você tem que ser engraçada quando travessa.

Daniel: Você acha que você ”pega” muita inspiração das crianças? Porque eu sim. Elas são muito honestas em como agem e como são no mundo.

Helena: Ah sim. Eles são. E eu também acho que tem muito de ”Peter Pan”em mim. Eu nunca realmente quis crescer. Eu cresci muito jovem. Me mudei quando tinha 13 anos, que foi quando comecei a atuar. Papai estava muito mal, praticamente paralizado, então havia parte de mim que sentiu que eu devia me tornar responsável.

Daniel: Você pensou que tinha que fornecer algo. Ou ajudar, pelo menos.

Helena: Sim. Eu estava tentando compensar pelo o que aconteceu com ele. Não estava nem consciente disto. Achei que se eu fizesse algo, iria fazer as coisas melhorarem de algum jeito.

Daniel: Que você provavelmente fez de um certo jeito.

Helena: De um certo jeito, eu fiz.

Daniel: Você tem tido uma vida maravilhosa, e o que qualquer pai/mãe quer além de se sentir extremamente orgulhosos dos seus filhos? Ah, e falando disto, meus parabéns. Você venceu o BAFTA ano passado pelo ”The King’s Speech”.

Helena: Obrigada.

Daniel: Isto é muito empolgante, e você estava aterrorizada antes daquele filme. Você estava em ”Potter” e filmando este outro ao mesmo tempo. Estava fazendo uma tarefa dupla.

Helena: Eu estava fazendo uma tarefa dupla. Eu nunca disse ”sim” para aquele filme, na verdade. Eu recusei o papel muitas vezes. Tom Hooper é persistente, então, se ele quer alguma coisa, ele consegue. Você acaba dizendo, ”Oh, droga! Ok, eu faço!”

Daniel: Verdade? Apenas por persistência?

Helena: É mais fácil, e também estava filmando na estrada. Mas, você sabe, meu filho Billy iria perguntar: “Você tem que ser a bruxa ou a rainha amanhã?” Eu pensei: Bom, isso é bem minha vida.

Daniel: Você tem que ser uma bruxa ou a rainha amanhã, uma decisão a tomar. Quando eu coloquei o gravador para baixo em sua mesa, peguei uma pilha, e o título do livro que estava debaixo daquela pilha foi revelado: O que é uma menina pobre? Prostituição em meados do século XIX América.

Helena: [em sotaque sulista] Se tudo isso falhar, esta é minha situação reserva.

Daniel: Esse é o seu sotaque sulista?

Helena: É para um papel. Você tem que pesquisar coisas do tipo. A melhor parte do nosso trabalho é que nos obrigada a fazer coisas que nós normalmente temos muita preguiça de fazer. Eu estou orgulhosa de mim mesma que estou fazendo aula de sapateado pela primeira vez. Isso foi um desejo de Ano Novo. Eu pensei ”Faça isso! Quando você terá tempo de novo?”

Daniel: Com certeza. E tem um piso de madeira na sua casa, o que pode te fazer ir para a cidade. Qual é a sua relação com musicais? Você os ouvia quando cresceu?

Helena: Eu amo musicais. Honestamente, eu sempre quis fazer parte de um e sempre quis atuar como a Sra. Lovett (Sweeney Todd). E quando o Tim disse ”Estou produzindo, você pode fazer uma audição para o papel se quiser”, você sabe…

Daniel: Eu lembro de você praticando canto.

Helena: Sim, de novo, você estava lá!

Daniel: No 5º filme (Harry Potter e a Ordem da Fênix). Eu lembro de ter pensado ”O que vai acontecer com o Tim se ela não conseguir esse papel?” Eu acho que é importante ressaltar que você também estava sendo avaliada pelo co-autor do musical original. E isso é inacreditável. Como foi a experiência?

Helena: Isso foi uma das maiores turbulências de nosso casamento. Não que nós sejamos casados, mas foi muito difícil

Daniel: Oh, você não é casada?

Helena: Nós não somos, na verdade. Não é por nada… É por preguiça mesmo.

Daniel: Bom, crianças são um comprometimento, não são?

Helena: Sim, nossas casas estão casadas!

Daniel: Sim, o que eu amo! O que é interessante sobre é que quando falo sobre com as pessoas da minha idade, eles dizem ”Oh, isso é estranho”. Eu digo isso a pessoas que tem filhos e elas tem inveja. (todos rindo). Eles tem muita inveja da sua situação

Helena: É muito bom ter. (Em sotaque sulista) Se você pode sustentar a junção de duas casas…

Daniel: Não parece duas casas. É uma ótima ideia, cada um tem seu próprio espaço

Helena: Claro, você definitivamente precisa de seu espaço.

Daniel: Isso é maravilhoso. Então, você pode falar sobre Dark Shadows (novo filme de Tim Burton, com Helena Bonham Carter e Johnny Depp)? Porque eu não conheço o seriado…

Helena: Eu não sabia disso. Eu sabia que Tim costumava assistir a Dark Shadows, o que era um tipo de uma m*rda de novela gótica, mas é toda estruturada em 1970. É basicamente sobre Barnabus Collins, um vampiro triste.

Daniel: Ah, legal! E você interpreta Dr. Julia Hoffman?

Helena: Eu interpreto a psiquiatra residente, que é uma alcoólatra. Tem este tipo de família estranha… Barnabus Collins é ressuscitado de seu caixão, e ele volta para sua família. É afastado por 200 anos. E Michelle Pfeiffer é, eu acho, sua sobrinha-neta por sete vezes.

Daniel: Excelente.

Helena: Foi um pouco preocupante quando eu o li, porque há uma parte sexy da bruxa. No início do filme, Tim disse, ”Eu acho que devemos dar uma pausa, porque você começa a trabalhar com todos esses outros diretores e eu nunca começo a trabalhar com outros atores.” Eu disse, ”Tudo bem, entendo perfeitamente. Vamos apenas ”ser crescida” sobre isto.” E depois, [produtor] Dick Zanuck — Ele é o homem mais surpreendente de todos. Ele tem 77 anos, é filho de Daryl Zanucks e produziu sensações — Jaws, The Sound of Music. Quero dizer, ele é uma lenda! Então, eu estou no carpete vermelho do Globo de Ouro, infelizmente, vestida como de costume, e Dick vem a mim —

Daniel: Oh, foi este o dos sapatos diferentes?

Helena: Sim. Mas, você sabe, foi bom, porque como você ”faz” o tapete em uma hora e meia? Então eu pensei, ”Que se dane!”. Eu olhei para o vestido e pensei, ”Não vai ser bem recebido, então vamos os distrair.” Pelo menos você tem algum controle, entende?

Daniel: Isto é, francamente, inspirador.

Helena: Então, Dick veio até a mim e disse, ”Você o leu?” E eu disse, ”Sim, mas ele não me quer ‘dentro”’. Ele disse, ”Não, não. Você é a médica….” Eu disse, ” Angélique, a bruxa sexy, certo?” E ele,  ”Não, não Angélique. Você é Dr. Hoffman.” Doutora Hoffman! Uma psiquiatra alcoolatra.

Daniel: Certo, então você imaginou outras atrizes?

Helena: Bem, eu imaginei, mas eu também pensei, o que é sobre uma psiquiatra alcoolatra que te faz pensar, naturalmente, Helena?

Daniel: Então, eu estou intrigado. Como é se você tem um dia ruim no set?  Isto é o que faz ter duas casas fantástico? Eu tenho certeza que deve ser. Porque eu não gostaria de ir pra casa com diretores.

Helena: Sim. Ele é muito estressado. Diretores são. O nível de estresse é uma batalha. Quero dizer. tudo que pode dar errado, dá. Mas, novamente, o que é ótimo em trabalhar com Tim – quando você está envolvido com ele – é que eu posso ver que, no set, ele está se divertindo.

Daniel: Certo. É sempre muito sexy e muito atrativo ver a pessoa que você ama sendo incrível em seu trabalho.

Helena: Eu sei. Eu amo aquilo. É realmente uma coisa boa. E é muito ”saudável” para fazer, tão frequentemente. Porque, entre tudo… Ele não consegue cozinhar, mas ele é muito bom dirigindo filmes!

Daniel: Ele não é muito útil nas coisas de casa, mas ele pode fazer um filme!

Helena: E eu penso, ”Ah, por que você trabalha com ele novamente?” Mas faz sentido para mim. Eu tenho dois filhos com o homem. Não faz qualquer sentido estar indo para o outro lado do mundo e fazer alguma outra coisa.

Daniel: Não, faz completamente sentido!

Helena: E também, é Tim Burton! Ele é um gênio! Você não pode o ”descartar” apenas porque sai com ele e tem dois filhos juntos.

Daniel: Não, absolutamente!

Helena: Seria insano!

Daniel: Seria um motivo bizarro.

Helena: Seria perverso.

Daniel: Realmente seria.

Helena: Seria positivamente errado, e estúpido.

Daniel: Estúpido. Absolutamente. Mas então, continuando da parte que você disse sobre o Globo de Ouro, e seus sapatos que não combinavam: fashion. Você tem trabalhado com Juergen Teller?

Helena: Para Marc Jacobs. Foi o resultado daqueles dois sapatos.

Daniel: Sério?

Helena: Marc disse, ”Deixe-a usar sapatos diferentes!” Juergen Teller é uma ótimo fotógrafo. Ele é brilhante.

Daniel: Uma das coisas que eu odeio quanto ao meu trabalho, são as sessões de fotografia, porque quando você está fazendo poses, você se sente um pouco de idiota, eu sempre acho isto.

Helena: Bom, você sabe o que foi maravilhoso com Juergen? Ele é muito rápido! Nós apenas colocamos um pouco de música e dançamos. Eu sinto que fiz todas as expressões!



2011 - 2016   DanielRadcliffe.Com.Br